Uma Súplica que Jesus Não Responderia

A mãe de Tiago e João se ajoelhou diante de Jesus e suplicou, "Dize que estes meus dois filhos se assentem um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu Reino" (Mateus 20:21).

Você pode pensar que Jesus se recusaria a responder à essa súplica porque ela talvez tenha sido motivada pela vaidade. Mas essa não é a razão que Jesus dá. Ele diz, "O assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado" (versículo 23).

Isso é estranho. A princípio soa como se as coisas que Jesus decide fazer não fossem "preparadas" por Deus; e as coisas "preparadas" por Deus não estão ao alcance de Jesus para conceder. Mas certamente isso não é verdade. Jesus disse, por exemplo, "Ninguém ma tira [minha vida] de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar e poder para tornar a tomá-la. Esse mandamento recebi de meu Pai" (João 10:18).

Deus, o Pai, tem "preparada" a morte e ressurreição de Seu Filho há muito tempo (Isaías 53). Mesmo assim estava na autoridade do Filho entregar Sua vida e tomá-la novamente. Portanto não há conflito entre o que o Filho pode fazer e o que o Pai "prepara" para ser feito. Eles estão em harmonia.

O que então Jesus quis dizer quando Ele disse a Tiago e a João, "Não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado"? Talvez ele estava dizendo, "O Pai não me revelou quem sentará ao meu lado, portanto não me pertence dá-lo". Mas Jesus não diz que o Pai não revelou isso a Ele como no caso da Sua segunda vinda (Marcos 13:32).

Imagino se Jesus não quis dizer algo como: "Eu percebo que tenho favorecido a Tiago e a João. Eles são parte do círculo interno de minha convivência. Portanto é verdade que há uma pressão em meu coração para tê-los especialmente próximos a mim. Por isso eu entendo o porquê de você suplicar a mim dessa forma. Mas o que você precisa entender é que Eu e o Pai temos laços afetivos que frequentemente não satisfazemos de formas imediatas. Em vez disso, nós os submetemos à direção da infinita sabedoria. Meu Pai é a Fonte de toda Sabedoria. Portanto o que Ele tem preparado é do jeito que deve ser. Eu sempre me submeto a isso. Sempre será o melhor, mesmo se isso significar que alguns dos bons laços afetivos de meu coração devem se submeter a algo diferente. É isso que Eu quis dizer. Seu pedido não me pertence para dar, no sentido de que a afeição natural que tenho por Tiago e João não são suficientes para decidir se eles sentarão ao meu lado. Há uma sabedoria infinita que decide tais coisas. Submetamos alegremente a ela e busquemos os caminhos infinitamente melhores de meu Pai".

É assim que é frequentemente quando oramos. Se a resposta não vier no tempo e da maneira que queremos, não assumamos que o Senhor não tem afeição por nós ou nenhuma vontade de fazer o que queremos. Ele pode lamentar conosco pelo que ansiamos. Mas Ele sempre se submeterá às "preparações" infinitamente sábias de Seu Pai, pois elas são sempre melhores. A resposta "Não, isso não me pertence para dar", sempre significa, "Meu Pai tem preparado algo melhor. Confie nEle".

Ore comigo: Senhor, eu creio, auxilie na minha incredulidade.

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org