Uma Súplica que Jesus Não Responderia

A mãe de Tiago e João se ajoelhou diante de Jesus e suplicou, "Dize que estes meus dois filhos se assentem um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu Reino" (Mateus 20:21).

Você pode pensar que Jesus se recusaria a responder à essa súplica porque ela talvez tenha sido motivada pela vaidade. Mas essa não é a razão que Jesus dá. Ele diz, "O assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado" (versículo 23).

Isso é estranho. A princípio soa como se as coisas que Jesus decide fazer não fossem "preparadas" por Deus; e as coisas "preparadas" por Deus não estão ao alcance de Jesus para conceder. Mas certamente isso não é verdade. Jesus disse, por exemplo, "Ninguém ma tira [minha vida] de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar e poder para tornar a tomá-la. Esse mandamento recebi de meu Pai" (João 10:18).

Deus, o Pai, tem "preparada" a morte e ressurreição de Seu Filho há muito tempo (Isaías 53). Mesmo assim estava na autoridade do Filho entregar Sua vida e tomá-la novamente. Portanto não há conflito entre o que o Filho pode fazer e o que o Pai "prepara" para ser feito. Eles estão em harmonia.

O que então Jesus quis dizer quando Ele disse a Tiago e a João, "Não me pertence dá-lo, mas é para aqueles para quem meu Pai o tem preparado"? Talvez ele estava dizendo, "O Pai não me revelou quem sentará ao meu lado, portanto não me pertence dá-lo". Mas Jesus não diz que o Pai não revelou isso a Ele como no caso da Sua segunda vinda (Marcos 13:32).

Imagino se Jesus não quis dizer algo como: "Eu percebo que tenho favorecido a Tiago e a João. Eles são parte do círculo interno de minha convivência. Portanto é verdade que há uma pressão em meu coração para tê-los especialmente próximos a mim. Por isso eu entendo o porquê de você suplicar a mim dessa forma. Mas o que você precisa entender é que Eu e o Pai temos laços afetivos que frequentemente não satisfazemos de formas imediatas. Em vez disso, nós os submetemos à direção da infinita sabedoria. Meu Pai é a Fonte de toda Sabedoria. Portanto o que Ele tem preparado é do jeito que deve ser. Eu sempre me submeto a isso. Sempre será o melhor, mesmo se isso significar que alguns dos bons laços afetivos de meu coração devem se submeter a algo diferente. É isso que Eu quis dizer. Seu pedido não me pertence para dar, no sentido de que a afeição natural que tenho por Tiago e João não são suficientes para decidir se eles sentarão ao meu lado. Há uma sabedoria infinita que decide tais coisas. Submetamos alegremente a ela e busquemos os caminhos infinitamente melhores de meu Pai".

É assim que é frequentemente quando oramos. Se a resposta não vier no tempo e da maneira que queremos, não assumamos que o Senhor não tem afeição por nós ou nenhuma vontade de fazer o que queremos. Ele pode lamentar conosco pelo que ansiamos. Mas Ele sempre se submeterá às "preparações" infinitamente sábias de Seu Pai, pois elas são sempre melhores. A resposta "Não, isso não me pertence para dar", sempre significa, "Meu Pai tem preparado algo melhor. Confie nEle".

Ore comigo: Senhor, eu creio, auxilie na minha incredulidade.

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in physical form, in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For posting online, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. For videos, please embed from the original source. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org