Darwinismo à Porta da Frente

Você é um tique-taque no relógio da evolução?

Em frente à porta de nossa casa, foi deixado, lado a lado, um artigo de jornal que seguia uma concepção do mundo e uma revista que trazia outra concepção. O artigo da revista citava Philip Johnson, professor de Direito na Universidade da Califórnia, em Berkeley:

Se dissermos: “Uma bactéria, por meio de etapas graduais, se tornou uma lagosta, ou um inseto, ou um verme...”, muitos perguntariam: “É possível que Deus tenha agido dessa maneira?” Essa é uma pergunta maçante. É claro que Ele poderia. Mas, se Deus estava realmente envolvido na situação, qual é a evidência de que Ele transformou a bactéria, por meio de etapas graduais, em um verme? Não há evidências. Não há registro nos fósseis. Isso não pode ser testado nos laboratórios. Se alguém crê nisso, ele crê pela fé, fé na evolução (World, 22 de novembro de 1997, p. 13).

Nesta virada do século, Johnson tem liderado uma cruzada notável que se especializa em Derrotar o Darwinismo com Mentes Abertas, que é o título de um dos seus livros. Seu primeiro livro sobre a evolução foi Darwin no Banco dos Réus. Como professor de Direito, Johnson é um perito em lidar com evidências. Embora ele seja um crente, nem sempre começa sua argumentação partindo das Escrituras, visto que seus ouvintes freqüentemente não compartilham desse mesmo ponto de partida. Johnson apenas argumenta com base nas evidências que os evolucionistas usam — e mostra que essas evidências não sustentam o peso da cosmovisão evolucionista. Aceitar o darwinismo, ou a evolução naturalista, é um passo de fé.

Nesse mesmo dia, li também, no Star Tribune, jornal de Minneapolis, uma declaração incrivelmente sincera, escrita por Renee Twombly, acerca da fé darwiniana. Eis a sua sincera declaração de fé:

Como ser humano, diríamos nós, você se sente um pouco superior a todas as outras criaturas que respiram ao seu redor? Você não pode repelir este pensamento, visto que os homo sapiens podem mover as montanhas, enquanto as formigas preferem pequenos montes de terra, certo? Bem, a verdade é que você é apenas um tique-taque no relógio da evolução na Terra, um pequeno broto no desenvolvimento da árvore da vida... Adaptação biológica e ambiental, juntamente com o esforço e a habilidade de sobrevivência dos descendentes de uma nova espécie, determinam se aquela espécie viverá ou não.

Neste ponto de vista, a evolução não é um processo que pode ser predito. A evolução é mais o resultado do acaso e não possui um elevado princípio norteador. A vida não é inerentemente progressiva, subindo, passo a passo, uma escada de aprimoramento, para atingir o ser perfeito, que muitos presumem seja o homem. Qual é a moral da história? Veja isso de novo depois do próximo tique-taque evolucionário (26 de novembro de 1997, A16 — ênfase acrescentada).

Nem todas as pessoas têm habilidade ou tempo para lidar com todas as evidências como Philip Johnson o faz. Deus sabe disso. Portanto, Ele planejou o mundo de modo que “os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade”, sejam claramente reconhecidos, “desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas” (Romanos 1.20). Os evolucionistas terão de explicar se o passo de fé que eles deram, partindo da bactéria e chegando à lagosta, é tão razoável como o passo de fé dos cristãos, partindo do universo repleto de ordem e chegando até Deus.

Além do universo, há também o Senhor Jesus. A Sra. Twombly, com um toque casual nas teclas, afirma que a diferença entre Jesus e uma formiga é um tique-taque no relógio da evolução. Essa é uma afirmação relevante e perigosa. Quando os seres humanos celebram o Natal, estão fazendo essencialmente o mesmo que as formigas fazem ao realizarem uma dança instintiva. É apenas uma questão de substância, mais energia, mais tempo. Nada essencial mudou.

Por favor, compreenda o que está implícito aqui. Com um toque de uma vara de condão imaginária, os darwinistas expulsaram a Deus do céu e a Cristo, da terra. Em seguida, eles vão às salas de aula da nação e dizem: “Respeitem uns aos outros e façam o bem” — e ainda perguntam por que os jovens matam seus colegas, como se fossem animais.

Eu direi com alegria àqueles que crêem no evolucionismo: a origem das espécies é mais explicável com base em suposições bíblicas do que Jesus de Nazaré é explicável com base em suposições darwinianas. A criação e Jesus Cristo revelam o Deus que criou o cosmos e salva do pecado. Se você não vê isso, continue olhando. Esta conexão é mais acessível do que a conexão de uma formiga com um ser humano.


Em parceria com Editora Fiel.


©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in physical form, in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For posting online, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. For videos, please embed from the original source. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org