Deus Quer Realmente Que Sejas Encorajado?

As férias são momentos perigosos de desânimo. As expectativas da alegria são altas, logo as realidades da tristeza são ainda mais pesadas. É esperado que estejas triste em Fevereiro; então essa época é mais tolerável. Mas o Dia de Ação de Graças e o Natal supostamente devem ser festivos. Daí o duplo golpe de abatimento. Posso oferecer algum remédio de prevenção?

Por isso, querendo Deus mostrarmais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento; para que por duas coisas imutáveis (a promessa e o juramento), nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta.(Hebreus 6:17-18)

"... querendo Deus mostrar mais abundantemente..."

Este texto supõe que Deus falou o suficiente para nos incentivar. Mas Deus não é um Deus de coisas mínimas. O seu objetivo não é o de falar o mínimo possível de palavras de consolação. Ele fala algumas palavras para dar-nos esperança. Então, sendo o Deus efusivo que é, diz consigo mesmo “Isto é bom. Gosto de fazer isto. Acho que vou fazer de novo.” E assim diz mais algumas palavras de incentivo.

Mas não apenas mais. São melhores. Ele passa de simples promessas (que são infalíveis e infinitamente fidedignas!) a juramentos. E não apenas uns juramentos quaisquer, mas os melhores e de mais alta qualidade — juramentos baseados em Si mesmo. Porquê? Não porque a sua palavra seja fraca. Mas porque somos fracos e Ele é paciente.

Ele deseja "mostrar... provar... demonstrar... assinalar... representar... expor... revelar … trazer para casa" a esperança do nosso futuro. Ele realmente quer sintamos isso. Ele marcha a segunda (e terceira e quarta) milha para nos ajudar a sentirmo-nos encorajados. Isso é o que ele quer. Isso é o que Ele realmente quer. "Quando Deus quis mostrar mais convincentemente..."

"... a fim que tenhamos a firme consolação..."

Quão encorajados quer Deus que nos sintamos? Ele disse,"firme consolação!" Observe o termo! Ele poderia ter dito, "grande consolação" ou "enorme consolação" ou "profunda consolação". Tudo seria verdade. Mas a palavra é "firme". A consolação que contradiz as tristezas sazonais. Prega isso a ti próprio: "Deus deseja que eu tenha firme consolação!" "Deus realmente deseja que eu tenha firme consolação!"

... para reter a esperança proposta...

Existem bons momentos nesta vida. Mas, encaremos os fatos: os dias são maus, as nossas imperfeições frustram-nos e estamos a ficar velhos movendo-nos em direção à sepultura. Se apenas nesta vida temos esperado em Cristo somos, de todas as pessoas, os que merecemos mais dó. É que aindtaa há bons momentos a despontar nesta vida. Mas mesmo eles são lixo em comparação com a insuperável valor de ganhar Cristo. Mesmo nesta vida podemos congratular-nos com alegria indizível e cheia de glória. Mas só porque "retemos a esperança proposta". Estende a mão e apropria-te disso. Deus te encoraja. Leva-o agora. Aprecia-o agora. Sê encorajado por ele agora. Sê firmemente consolado. Porque a tua esperança é firmada com dupla infinidade: a promessa de Deus e o juramento de Deus.

Encorajado contigo pela vontade de Deus,

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org