Deus Quer Realmente Que Sejas Encorajado?

As férias são momentos perigosos de desânimo. As expectativas da alegria são altas, logo as realidades da tristeza são ainda mais pesadas. É esperado que estejas triste em Fevereiro; então essa época é mais tolerável. Mas o Dia de Ação de Graças e o Natal supostamente devem ser festivos. Daí o duplo golpe de abatimento. Posso oferecer algum remédio de prevenção?

Por isso, querendo Deus mostrarmais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento; para que por duas coisas imutáveis (a promessa e o juramento), nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta.(Hebreus 6:17-18)

"... querendo Deus mostrar mais abundantemente..."

Este texto supõe que Deus falou o suficiente para nos incentivar. Mas Deus não é um Deus de coisas mínimas. O seu objetivo não é o de falar o mínimo possível de palavras de consolação. Ele fala algumas palavras para dar-nos esperança. Então, sendo o Deus efusivo que é, diz consigo mesmo “Isto é bom. Gosto de fazer isto. Acho que vou fazer de novo.” E assim diz mais algumas palavras de incentivo.

Mas não apenas mais. São melhores. Ele passa de simples promessas (que são infalíveis e infinitamente fidedignas!) a juramentos. E não apenas uns juramentos quaisquer, mas os melhores e de mais alta qualidade — juramentos baseados em Si mesmo. Porquê? Não porque a sua palavra seja fraca. Mas porque somos fracos e Ele é paciente.

Ele deseja "mostrar... provar... demonstrar... assinalar... representar... expor... revelar … trazer para casa" a esperança do nosso futuro. Ele realmente quer sintamos isso. Ele marcha a segunda (e terceira e quarta) milha para nos ajudar a sentirmo-nos encorajados. Isso é o que ele quer. Isso é o que Ele realmente quer. "Quando Deus quis mostrar mais convincentemente..."

"... a fim que tenhamos a firme consolação..."

Quão encorajados quer Deus que nos sintamos? Ele disse,"firme consolação!" Observe o termo! Ele poderia ter dito, "grande consolação" ou "enorme consolação" ou "profunda consolação". Tudo seria verdade. Mas a palavra é "firme". A consolação que contradiz as tristezas sazonais. Prega isso a ti próprio: "Deus deseja que eu tenha firme consolação!" "Deus realmente deseja que eu tenha firme consolação!"

... para reter a esperança proposta...

Existem bons momentos nesta vida. Mas, encaremos os fatos: os dias são maus, as nossas imperfeições frustram-nos e estamos a ficar velhos movendo-nos em direção à sepultura. Se apenas nesta vida temos esperado em Cristo somos, de todas as pessoas, os que merecemos mais dó. É que aindtaa há bons momentos a despontar nesta vida. Mas mesmo eles são lixo em comparação com a insuperável valor de ganhar Cristo. Mesmo nesta vida podemos congratular-nos com alegria indizível e cheia de glória. Mas só porque "retemos a esperança proposta". Estende a mão e apropria-te disso. Deus te encoraja. Leva-o agora. Aprecia-o agora. Sê encorajado por ele agora. Sê firmemente consolado. Porque a tua esperança é firmada com dupla infinidade: a promessa de Deus e o juramento de Deus.

Encorajado contigo pela vontade de Deus,

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in physical form, in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For posting online, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. For videos, please embed from the original source. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org