Morrendo para a Glória de Cristo

O maior propósito da nossa existência é refletir a glória de Jesus Cristo. Deus nos deu vida para que com nossos corpos, mentes e corações possamos chamar atenção para Jesus e mostrar o quão grande Ele realmente é. O propósito da nossa existência não muda na morte. Isto é o propósito da nossa morte e o propósito da nossa vida após a morte.

Para os Cristãos, a vida eterna já começou e não será interrompida pela morte ou pelo julgamento. Jesus ensinou isso quando disse: "Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida." (João 5:24). Pela fé em Cristo, nosso julgamento é passado e nossa morte também. A morte não é mais morte para aqueles que estão em Cristo. A essência daquilo que a fazia ser morte foi mudada.

Mas o que mudou? "Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo." (1 Coríntios 15:56). Cristo cumpriu a lei perfeitamente. "Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça." (Mateus 3:15). Ele também levou sobre Si a maldição que a lei colocava sobre nós por causa do pecado. "Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar" (Gálatas 3:13). Portanto, em Cristo, a justiça que a lei exigia de mim foi provida para mim, e a maldição que a lei decretava sobre mim foi removida de mim.

Portanto o aguilhão da morte foi destruído. A morte não é mais o terror que costumava ser. A morte agora é uma transição da vida para uma vida melhor, de ter fé para realmente ver, do sofrimento para a glória, de uma boa amizade com Jesus para uma amizade muito melhor com Jesus, de viver alternadamente dor e prazer para somente prazer, de lutar com o pecado para um amor perfeito por Jesus. Nós passamos da morte para a vida.

Portanto, o modo pelo qual demostramos a grandeza de Jesus na nossa morte, é valorizando essas coisas enquanto morremos. Isto é, valorizá-las mais do que valorizamos o que deixamos para trás. É assim que cumprimos o propósito dado por Deus na nossa morte como aqueles que não podem morrer. O propósito dessa morte sem morte é glorificar a Cristo. A morte é o modo que Deus indicou nesse mundo perdido para que glorifiquemos a Cristo pela última vez na Terra antes que entremos na glória eterna.

Paulo diz que fazemos isso considerando a morte como lucro: "segundo a minha ardente expectativa e esperança de que (...) será Cristo engrandecido no meu corpo, (...) pela morte. Porquanto, para mim, (...) o morrer é lucro." (Filipenses 1:20-21). Cristo é exaltado na nossa morte quando valorizamos tanto Cristo que sentimos que morrer é lucro.

A morte é um tempo de glorificar a Deus. Deus a designa para esse propósito na vida de Seus santos. Um outro exemplo é a morte de Pedro. Jesus falou com ele sobre a sua morte: "quando eras mais moço, tu te cingias a ti mesmo e andavas por onde querias; quando, porém, fores velho, estenderás as mãos, e outro te cingirá e te levará para onde não queres." (João 21:18). Então João interpretou essas palavras para nós em seu evangelho: "E [Jesus] disse isso significando com que morte [Pedro] havia de glorificar a Deus." (João 21:19). Todos nós temos uma hora e uma forma de morrer já estabelecida. Esta é a última forma que temos na terra de engrandecer o supremo valor de Jesus nas nossas vidas. Esta é a última vez para glorificarmos a Deus na Terra. Isso acontece quando consideramos tudo na Terra como perda (Filipenses 3:8) e consideramos ver e deleitar-se em Cristo no Céu como lucro.

Aqueles que ficam para trás sentem profundamente a perda aqui. Há lágrimas incontáveis. Isso é bom. Isso testifica a preciosidade de uma dádiva experimentada. Mas mesmo aqui, com todas as lágrimas, há uma forma de engrandecer a Cristo. Jó nos mostrou como. Quando chegaram as notícias de que dez de seus filhos haviam morrido, "Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a cabeça e lançou-se em terra e adorou; e disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor!" (Jó 1:20-21). Ele chorou e ele adorou.

Oremos sinceramente uns pelos outros, para que Cristo seja tão real para nós que possamos viver e morrer de um modo que mostre Sua suprema preciosidade para nós. "Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor" (Filipenses 3:8). Essa é a grande batalha da vida: valorizar Jesus dessa forma. Por favor, ore por mim. Eu oro por você: Ó Senhor, sacia-nos de manhã com Teu amor inabalável para que possamos viver e morrer para mostrar-Te tão grande quanto realmente és.

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org