Promessas Esperançosas para Triunfar sobre o Pecado

No meu sermão em 3 de Dezembro, eu disse que uma das razões pela qual o pecado não irá nos dominar como senhor enquanto estamos "debaixo da graça" (Romandos 6:14) é que, enquanto estamos debaixo da graça, Deus está trabalhando em nós para querermos e para fazermos sua boa vontade. Eu baseei isso em Romanos 6:17, do contexto que diz, "Mas graças a Deus porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues." Desde que Paulo dá graças a Deus, pois os Romanos se tornaram obedientes de coração, eu concluí que Deus é aquele que trabalha para trazer essa obediência em seus corações. E se Deus trabalha para trazer essa obediência em nosso coração, então o pecado não vai ser senhor sobre nós, Deus vai.

Eu avisei que isso não significa que nós nos tornamos perfeitos nessa vida (Filipenses 3:12; 2 Coríntios 3:18; Romandos 7:24), mas significa que o pecado é destronado do castelo das nossas vidas e que a derrota do pecado é certa conforme nós "combatemos o bom combate da fé" (1 Timóteo 6:12) até que morramos ou até que Jesus venha (2 Timóteo 4:7).

Eu exortei vocês para que não tornem a soberania de Deus em uma permissão por passividade, mas em um motivo de esperança. Eu disse, "Deixe que a soberania de Deus faça você ter esperança de que a mudança é possível, não passivo, como se nenhuma mudança fosse necessária." Então leve os textos abaixo como encorajamento de Deus para que você possa, e você fará, progresso em tirar o pecado da sua vida.

2 Tessalonicenses 1:11-12, "Por isso, também não cessamos de orar por vós, para que nosso Deus . . . cumpra com poder todo propósito de bondade e obra de fé, a fim de que o nome de nosso Senhor Jesus seja glorificado em vós." Lembre-se, Cristo é glorificado quando sua glória é manifesta de maneira que Deus nos permite cumprir nossos bons propósitos através dele.

Hebreus 13:20-21, "Ora, o Deus de paz . . . vos aperfeiçoe em todo o bem, para cumprirdes a sua vontade, operando em nós o que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja dada a glória para todo o sempre. Amém!" De novo, perceba, desde que Deus nos permite fazer o que é bom perante seus olhos "através de Jesus", é Jesus que é glorificado, não nós.

1 Pedro 4:11, "Se alguém . . . serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!." Aquele que dá recebe a glória. Porque Deus é aquele que nos permite "servi-lo", ele leva o crédito pelo serviço.

Gálatas 5:22-23, "Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, loganimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei." Atitudes e comportamentos cristãos são o fruto do Espírito, não apenas o fruto de nossos próprios esforços. Nossos esforços são essenciais, mas não decisivos. Veja abaixo em Filipenses 2:12-13.

Esses textos são exemplos do cumprimento da promessa do Velho Testamento da Nova Aliança, em que Deus trabalha no seu povo para trazer obediência. Aqui estão alguns exemplos dessas promessas do Velho Testamento.

Jeremias 31:31-33, "Eis aí vêm dias, diz o SENHOR, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel. . . . Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei." No passado, a lei foi escrita em pedra e encontrou rebelião em nossos corações rebeldes. Mas na Nova Aliança, Deus não deixa a lei de fora, fazendo exigências; ele também a leva para dentro, criando obediência.

Deuteronômio 30:6, "O SENHOR, teu Deus, circuncidará o teu coração . . . para amares o SENHOR, teu Deus, de todo o coração e de toda a tua alma."

Ezequiel 11:19-20, "porei . . . espírito novo dentro deles; tirarei da sua carne o coração de pedra e lhes darei coração de carne; para que andem nos meu estatutos, e guardem os meus juízos, e os executem."

Ezequiel 36:26-27, "Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos." Perceba a linguagem forte de "farei que andeis nos meus estatutos." Isso é o que eu acho que Paulo estava agradecendo a Deus em Romanos 6:17.

Jeremias 32:40, "Farei com eles aliança eterna, segundo a qual não deixarei de lhes fazer o bem; e porei o meu temor no seu coração, para que nunca se apartem de mim." Nossa perseverança até o fim no temor de Deus, é devido a poderosa graça de Deus, que nos faz perseverar.

Então como nós devemos orar? Um exemplo de Paulo: "e o Senhor vos faça crescer e aumentar no amor uns para com os outros e para com todos" (1 Tessalonicenses 3:12; veja Filipenses 1:9-11).

Devemos usar nossa força de vontade para obedecer? Sim. Poderosamente. "Desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade" (Filipenses 2:12-13).

Regojizando "debaixo da graça" de Deus,

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org