A Louca Alegria de João: Mais sobre Noivos e Purificação

Isto é principalmente para os maridos. Observei mais algumas coisas desde o sermão de Domingo passado sobre João Batista e sua louca felicidade. Eu li isto, por exemplo:

É possível (mas não correto) que crentes batizados vivam suas vidas como se o evangelho não fosse verdadeiro. Quantos maridos conservadores se sentem ultrajados se algum pregador liberal diz que Jesus não ressuscitou dos mortos, quando o tratamento diário que dispensam às sua esposas afirma exatamente isso? O liberal, pelo menos, afirma sua heresia apenas de vez em quando. (Douglas Wilson, Reformed Is Not Enough, pg. 168 - "Reformado não é o bastante" - sem tradução em português)

Crer no evangelho nos leva a tratar nossas esposas de forma diferente do que se não crêssemos.

Agora voltando a João Batista.

Lembre-se, em João 3:25 alguém levantou uma questão sobre "purificação" com os discípulos de João. "​Entre os discípulos de João e um judeu suscitou-se uma contenda com respeito à purificação." E então a questão pareceu ter sido descartada imediatamente.

Mas sugeri que a referência de João a Jesus como o noivo estava ligada à purificação, porque, em sua mente, o papel de Jesus como "o noivo" estava ligado ao seu papel como Cordeiro de Deus que morre a fim de nos purificar dos nossos pecados. A ligação é vista em Apocalipse 21:9: "Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro."

Assim, quando João diz,"​O que tem a noiva é o noivo" (João 3:29), ele está dizendo algo a respeito de purificação. Cristo morre como Cordeiro de Deus, e como Esposo da Igreja, a fim de purificar sua noiva.

Ardel Caneday mostrou-me algo que deixei passar completamente durante a preparação do meu sermão na semana passada. De volta a João 2, no casamento em Caná onde Jesus transformou a água em vinho, ele usou "seis talhas de pedra, que os judeus usavam [eram destinadas] para as purificações" (João 2:6).

Deste modo, Jesus estava prefigurando o vinho do seu sangue como o meio de purificação. E o estava fazendo em um casamento onde o mestre-sala disse ao noivo, "tu guardaste até agora o bom vinho" (João 2:10). Assim, Jesus (e João, autor do Evangelho) já haviam ligado o "noivo" ao sangue do Cordeiro e à "purificação" dos pecados.

E então Paulo faz a conexão a nós, maridos.

Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito. (Efésios 5:25-27)

Nós não somos os salvadores de nossas esposas; Cristo é. Nós não somos seus santificadores; Cristo é. Nós somos co-herdeiros da mesma graça de vida (1 Pedro 3:7), e dependemos do mesmo soberano provedor da vida.

Mas Paulo diz aos maridos: Veja como Cristo ama sua noiva. Olhe para o custo. E olhe para o objetivo. O custo é a sua vida. E o objetivo é a glória dela—a glória da santidade.

Se você visa a glória dela de cima para baixo—digamos, lá do Monte Sinai—você a endurecerá. Se você visar a glória dela de baixo para cima—a partir do Gólgota—você possibilitará que ela prove o doce sabor da glória suprema.

A chave? O Cordeiro de Deus e o Espírito Santo. Veja-se quebrantado e comprado pelo sangue do Cordeiro. Veja-se cheio do Espírito Santo.

O anjo disse ao pai de João Batista, "Ele será cheio do Espírito Santo, já do ventre materno" (Lucas 1:15). É por isto que João viu Jesus como o Cordeiro de Deus (João 1:29), e como o noivo (João 3:29), e muito se regozijou quando seus próprios discípulos o deixaram e foram atrás de Jesus.

A louca alegria de João na perda de todos os seus seguidores estava enraizada na suprema preciosidade de Jesus. Quando nós, maridos, conhecermos a Jesus tão bem, e o amarmos tão profundamente a ponto de podermos "muito nos regozijar" em diminuir para que ele cresça, então amaremos bem as nossas esposas. E não entraremos em contradição com o evangelho pela maneira como as tratamos.

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in physical form, in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For posting online, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. For videos, please embed from the original source. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org