Pastores, Pragmatismo, Prazer, e Orgulho

Minha posição na equipe da Bethlehem inclui a responsabilidade de estudar e pregar as Escrituras, para afiar e proclamar a visão, e para soar a campainha do aviso quando há perigo em frente. Então em nosso último retiro de oração e planejamento dos pastores, soei a campainha três vezes. Claro, há sempre perigo em frente. Então não há nada de extraordinário nisso. A Bíblia está cheia de avisos relevantes. E senti que três foram urgentes. Na realidade, há dois avisos e uma exortação positiva. Aqui há um apanhado geral do que falei. Por favor ore isto por você mesmo e por nós da equipe.

1. Guardem-se da idolatria do pragmatismo (2 Crônicas 28:19-27).

Acaz, rei de Israel, "se houve desenfreadamente em Judá, havendo desprezado ao Senhor" (2 Crônicas 28:19). Então o rei de Assíria veio contra ele e o afligiu. Acaz tentou levar porções da casa do SENHOR para aplacar o rei Assírio. Não serviu. Sua insensatez tornou-se mais insensata e "ele ofereceu sacrifícios aos deuses de Damasco que o haviam derrotado" (v. 23). Incrível! Ele ofereceu sacrifícios aos deuses do inimigo! Por quê? O que motivou este rei?

Resposta: "e disse: Visto que os deuses dos reis da Síria os ajudam, eu lhes sacrificarei, para que me ajudem a mim." (v.23). Em outras palavras, parecia que as orações aos deuses de Assíria serviram. Se serviram para eles, pode servir para mim também. Isto é pragmatismo na forma mais crua. A idolatria do pragmatismo. Pragmatismo adora o que funciona. O fim da história de Acaz: Os sacrifícios "foram a sua ruína, e de todo o Israel" (v.23).

Tenha cuidado, Bethlehem, de sacrificar verdade e santidade no altar do que parece funcionar. As coisas não são como parecem. Em vez de pragmatismo...

2. "Recebam o amor da verdade e sejam salvos" (2 Tessalonicens 2:9-12).

Essa é uma tradução literal da última sentença de 2 Tessalonicenses 2:10: "A vinda do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios, e com todo engano maligno para os que estão perecendo, porque recusaram o amor da verdade e serem salvos." Eles não "receberam o amor da verdade para serem salvos." Se uma pessoa não ama a verdade, não é salva. Amar a verdade é um dos frutos esperados de uma vida justificada.

O que acontece no final com aqueles que não recebem o amor da verdade na vida deles? Paulo diz, "Deus lhes enviará um poder sedutor para que creiam na mentira, para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na iniquidade" (vv. 11-12).

A última frase é espantosa. Passamos bastante tempo como equipe descarregando ela para nosso ministerio. Paulo contrasta "crer na verdade" não com descrença, mas com "prazer na iniquidade." Em outras palavras, quando alguém considera Jesus e o rejeita, não é devido apenas a uma conclusão intelectual mas, mais profundamente, a um prazer mais forte, isto é "prazer na iniquidade." A mente caída da humanidade não é observadora neutra de Cristo. Pessoas não acreditam na luz porque amam a escuridão (João 3:19). Amém. Tem prazer em. O prazer da iniquidade é alternativa ao amar na verdade. Então, Bethlehem, ame a verdade. Fuja a idolatria do pragmatismo, e ame a verdade.

3. Tenha cuidado do orgulho o qual traz destruição (2 Crônicas 26).

Uzias se tornou rei de Judá aos 16 anos. Governou por 52 anos. "Ele fez o que o Senhor aprova, tal como o seu pai Amazias; e buscou a Deus durante a vida de Zacarias, que o instruiu no temor de Deus. Enquanto buscou o Senhor, Deus o fez prosperar" (2 Crônicas 26:4-5). Ele se tornou muito forte e onde quer que fosse Deus o ajudava. Mas aí, o tema constante e ruidoso do Antigo Testamento aconteceu de novo. Os melhores reis falham.

"E propagou a sua fama até muito longe; porque foi maravilhosamente ajudado, até que se fortificou. Mas, havendo-se já fortificado, exaltou-se o seu coração até se corromper; e transgrediu contra o SENHOR seu Deus, porque entrou no templo do SENHOR para queimar incenso no altar do incenso." (vv. 15-16). O êxito dado por Deus provou ser sua ruína! Ele se tornou orgulhoso. E seu orgulho se expressou fazendo-o se sentir acima da lei e da crítica. Então entrou no templo para fazer o que somente os sacerdotes tinham permissão para fazer.

Azarias e os oitenta sacerdotes que eram "homens valentes" confrontaram o rei em nome do Senhor. "A ti, Uzias, não compete queimar incenso perante o SENHOR... sai do santuário, porque transgrediste; e não será isto para honra tua da parte do SENHOR Deus” (v. 18). Quando Uzias se irritou, o Senhor fez surgir lepra no rosto dele, e ele morou numa casa separada como leproso o resto de sua vida (v. 21).

Bethlehem, o Senhor nos tem fortalecido. Estamos em risco desta lepra: "Mas quando se fortaleceu, se tornou orgulhoso, até sua destruição." Então que devemos fazer? Falei duas coisas a equipe: 1) Nunca permitam que eu fique acima da crítica e correção. Convido vocês a me oferecerem criticas construtivas quando virem uma atitude ou palavras ou ações que desonrem ao Senhor. 2) Fiquem perto da cruz e jamais deixem de ser maravilhados e agradecidos por sua salvação. Pessoas que são perpetuamente gratas e maravilhadas que Deus os salvou, provavelmente não serão destruídas pelo orgulho.

Ore por nós quanto as três áreas: a idolatria do pragmatismo que arruina a igreja; o prazer da iniquidade que se recusa a amar a verdade; e o orgulho de ser forte que leva à destruição.

Dependendo do poder purificador da graça futura sempre a caminho,

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in physical form, in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For posting online, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. For videos, please embed from the original source. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org