Dez razões para ouvir bem as perguntas antes de responder

Reflexão sobre Provérbios 18.13

Provérbios 18.13

“Aquele que responde antes de ouvir, passa por insensato e fica envergonhado".

  1. É arrogante responder antes de ouvir. A humildade não presume saber exatamente o que uma pessoa está perguntando antes de ela ter terminado de colocar a questão. Quantas vezes eu me precipitei e cheguei a uma conclusão errada, porque comecei a responder antes de ouvir a pergunta na totalidade! Muitas vezes é a última palavra da pergunta que vira completamente o sentido da frase e faz perceber que não se está perguntando o que se pensava.

  2. É rude responder a uma pergunta não terminada. “Rude” é uma palavra útil para os cristãos. Significa “má educação, descortês”. A palavra do Novo Testamento correspondente é aschëmonei. É usada em 1 Coríntios 13.5 onde a versão mais moderna a traduziu por “o Amor não é rude", mas a versão antiga do King James é “o Amor não se comporta de forma indecente”. Isto significa que o Amor não só se guia pelos padrões da moral, mas também leva em conta os hábitos e os costumes culturais. O que significa ser bem-educado? O que significa ser cortês? O que são as boas maneiras? O que significa ser correto? O que significa ter bom gosto? O que significa ser apropriado? O Amor não é indiferente a estas palavras. Ele as usa para exprimir o seu desejo humilde pelo bem das pessoas. Uma forma de boa educação é ouvir bem a pergunta antes de responder.

  3. Responder a uma pergunta só depois da pessoa a ter terminado é uma forma de honrar e respeitar a pessoa que faz a pergunta. Trata a pessoa como se suas palavras relamente tivessem importância. Presumir que se consegue terminar a pergunta da pessoa é rebaixar essa pessoa.

  4. Ouvir uma pergunta com atenção revela frequentemente que a pergunta tem várias camadas e é muito mais do que uma simples pergunta. Várias perguntas estão todas misturadas numa só. Quando se percebe isto, a pergunta pode ser dividida em duas partes, sendo respondida uma de cada vez. Você não enxergará tais sutilezas se for precipitado nas suas respostas e se não for cuidadoso ao ouvir.

  5. Uma pergunta revela por vezes suposições das quais você não partilha. Se tentar responder à pergunta com base nas suas suposições sem compreender a intenção da pessoa que está fazendo a pergunta, muito provavelmente você irá ficar fora de contexto. Se ouvir atentamente e deixar que a pessoa termine de falar, você poderá discernir que ela está presumindo algo que você não está. Assim você poderá verificar estas suposições antes de responder. Muitas vezes, quando as coisas se encontram a este nível, a pergunta responde-se por si própria. Tem mesmo a ver com estas diferenças profundas.

  6. As perguntas normalmente têm atitudes, assim como conteúdo. Por vezes a atitude diz muito mais do que o conteúdo da pergunta. Na verdade, a atitude poderá mostrar que as palavras usadas na pergunta não têm a ver com a questão. Quando isso acontecer, a situação não deverá ser menosprezada; pelo contrário, deverão ser feitas mais perguntas para verificar se a atitude e as palavras estão em sintonia na pergunta. Se este não for o caso, para qual delas a pessoa quer resposta?

  7. As perguntas têm contexto, o qual é necessário conhecer. Há muitos pensamentos, circunstâncias e sentimentos que não conhecemos ou não entendemos que poderão estar ligados a esta pergunta. Ouvir atentamente poderá ajudá-lo a entender essas coisas. Pode ser que exista apenas uma pequena pista que aponte para um fato crucial por trás da pergunta. Se você seguir a pista, porque está ouvindo com atenção, poderá ser capaz de entender e de responder à pergunta de forma muito mais proveitosa.

  8. As perguntas são feitas de palavras. As palavras têm significados que são formados pela experiência e educação da pessoa. Estas palavras poderão não ter o mesmo significado para você e para a pessoa que faz a pergunta. Se pretender responder ao que realmente está sendo perguntado, você terá de ouvir com muita atenção. Se existir a possibilidade de a pergunta ter como base um significado de uma palavra diferente daquele que é utilizado pelo emissor, então seremos sensatos para falar sobre o significado das nossas palavras antes de falarmos sobre a resposta à pergunta. Eu considero que falar sobre as definições das palavras usadas em perguntas geralmente produz a resposta às perguntas.

  9. Provérbios 18.13 diz que “passamos por insensatos” ao responder antes de ouvir. Significa que isso fará de nós insensatos. Um razão para isso é que quase todas as respostas prematuras são baseadas na presunção de sabemos tudo que precisamos saber. Mas isso é “insensato”. Devemos ter a seguinte atitude: O que é que eu posso aprender com esta pergunta? O insensato pensa que ele sabe tudo que precisa de saber.

  10. E por fim, Provérbios 18.13 diz que “passamos por insensatos” ao responder antes de ouvir. Por exemplo, alguém lhe pergunta publicamente: “A minha esposa e eu temos tido problemas e estavamos pensando...” e você interrompe a pessoa que está fazendo a pergunta ao responder sobre a importância do aconselhamento e que os conselheiros poderão ser bastante úteis. Depois a pessoa diz: “Bem, na verdade aquilo que eu ia dizer era que a minha esposa e eu temos tido problemas e gostaríamos de saber, agora que as nossas reuniões de aconselhamento terminaram e as coisas melhoraram, de que forma você nos sugere celebrar?” Depois você se sentirá envergonhado por não ter esperado por ouvir a pergunta até ao fim.

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in physical form, in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For posting online, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. For videos, please embed from the original source. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org