A Angustiante Questão a Respeito da Certeza de Salvação

A questão mais angustiante a respeito da certeza da salvação não é a veracidade dos fatos objetivos do Cristianismo (Deus existe, Cristo é Deus, Cristo morreu pelos pecadores, Cristo ressuscitou dentre os mortos, Cristo salva eternamente todos aqueles que creem, etc.). Tais fatos são o alicerce firme da nossa fé. Mas a questão verdadeiramente angustiante é se sou pessoalmente salvo por esses fatos.

Isto se resume a determinar se tenho fé salvadora. O que torna isto angustiante - para muitos na história da Igreja e em nossos dias - é que existem pessoas que pensam ter fé salvadora, quando na verdade não têm. Por exemplo, em Mateus 7:21-23, Jesus diz, "Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres? ’ Então eu lhes direi claramente: ‘Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal'!"

Então, a questão angustiante para alguns é: tenho realmente fé salvadora? Minha fé é verdadeira? Estou me iludindo? Algumas pessoas bem-intencionadas tentam amenizar a questão, traduzindo a fé como uma simples decisão por afirmar certas verdades, como: Jesus é Deus, e Ele morreu pelos meus pecados. Alguns também tentam sustentar a certeza da salvação pela negação de que qualquer transformação de vida seja realmente necessária para demonstrar a realidade da fé. Então, encontram uma maneira de transformar o significado de Tiago 2:17 em algo para além do que parece afirmar: "Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta." Porém, tais estratégias para sustentar a certeza da salvação se tornam um problema. Negam algumas porções das Escrituras; e mesmo a mínima fé que preservam pode ser afetada ou questionada pela alma atormentada. Tais estratégias não solucionam a questão, e nos desviam da verdade. E, talvez o pior de tudo, por vezes oferecem segurança a pessoas que não deveriam estar certas de sua salvação.

Em vez de minimizar a miraculosa, profunda, transformadora natureza da fé, e em vez de negar que existem mudanças de vida necessárias, que revelam a realidade da fé, devemos abordar a questão de outra maneira. Devemos começar por reconhecer que existe uma garantia objetiva para descansar no perdão de Deus para meus pecados, e existe uma garantia subjetiva no perdão de Deus para meus pecados. A garantia objetiva é a obra consumada por Cristo na cruz, que "aperfeiçoou para sempre os que estão sendo santificados." (Hebreus 10:14). A garantia subjetiva é nossa fé, comprovada pela santificação.

A seguir, precisamos reconhecer que a fé salvadora é composta por duas partes. Em primeiro lugar, fé é a visão espiritual da glória (ou da beleza) de Cristo no evangelho. Em outras palavras, quando você ouve ou lê a respeito do que Deus realizou pelos pecadores na cruz e na ressurreição de Jesus, isto se apresenta ao seu coração como fato grandioso e glorioso em si mesmo, por si só, antes mesmo que você esteja certo da sua salvação através dele. Chego a esta conclusão pelo texto em 2 Coríntios 4:4, onde Paulo afirma que Satanás impede que os descrentes "vejam a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus." Para que a fé seja verdadeira, é preciso que haja "luz" sobrenatural, que Deus faz brilhar em nossos corações, para nos mostrar que Cristo é glorioso e maravilhoso (2 Coríntios 4:6). Isto ocorre como obra do Espírito de Deus através da pregação do evangelho.

Em segundo lugar, fé é um descanso garantido neste glorioso evangelho, para nossa própria salvação. Digo "um descanso garantido", pois existe um "descanso não garantido" - pessoas que pensam que são salvas, mas não são, pois nunca vieram a enxergar a glória de Cristo como gloriosamente cativante. Tais pessoas creem somente baseadas no desejo de serem resgatadas de qualquer dano, e não por enxergarem Cristo como mais belo e desejável do que todas as outras coisas. Contudo, para estes que vêem "a luz do evangelho da glória de Cristo", o descanso é garantido.

A aplicação prática disto é que devemos olhar continuamente para a cruz e para a obra de Deus em Cristo, pois é ali que Deus faz brilhar a luz do evangelho. Em segundo lugar, devemos orar continuamente a Deus "para que os olhos do coração... sejam iluminados". Em terceiro, devemos amar uns aos outros; pois, como João disse: "Sabemos que já passamos da morte para a vida porque amamos nossos irmãos." Por fim, a certeza da salvação é dom gracioso de Deus. Oremos uns pelos outros para que este dom seja abundante entre nós.

Enxergando e descansando,

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org