As Imperfeições de Pessoas Boas

Quando William Cowper nasceu em 1731, Francols Fenelon estava morto há 16 anos. Fenelon foi o Arcebispo de Cambray na França. Ele foi um Pastor amado e um místico.

William Cowper foi o laureado poeta do Avivamento Evangélico da Inglaterra. Ele foi quase dominado por pensamentos desesperadores por toda sua vida. Mas, Deus o usou em sua poesia. Ele escreveu: "Há uma Fonte Cheia de Sangue" (There is a Fountain Filled with Blood) e "Deus se Move de Modo Misterioso" (God Moves In a Mysterious Way) e "Venha Minha Alma Preparar Tua Petição" (Come My Soul Thy Suit Prepare) e as famosas linhas: "Satanás treme ao observar/ O mais fraco dos santos a orar."

Eu só mencionei estes homens ao mesmo tempo, porque recentemente ambos têm me feito pensar sobre a mesma questão, a saber, as imperfeições aparentemente intratáveis de personalidade que temos de viver em nós mesmos e nos outros. Aqui vemos como eles abordam isso:

Cowper escreveu:

Você já conheceu em sua vida um homem que era guiado no curso geral de suas ações por qualquer outra coisa, menos pelo seu temperamento natural? E ainda nós culpamos a conduta do próximo de maneira tão livre, assim como se o temperamento fosse a besta mais tratável do mundo.

Fenelon tratou desta forma:

Deve ser lembrado que mesmo a melhor das pessoas deixam muito a desejar, e nós não devemos desejar muito...Não se permita afastar-se das pessoas por causa das imperfeições delas... Eu descobri que Deus deixa, mesmo nas pessoas mais espirituais, certas fraquezas as quais parecem completamente fora de lugar.

Um dos maiores desafios ministeriais para mim (eu gostaria de conhecer a pessoa que achar a solução) é chegar a um acordo com esta compreensão e ainda ser fiel às Escrituras. Resistir imperfeições parece inevitavelmente destrutivo em relacionamentos. No entanto, como não resistiremos a imperfeições quando a Bíblia diz: "Livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado" (Hebreus 12:1); e "Purifiquemo-nos de tudo o que contamina o corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus."(2 Coríntios 7:1); e "Sejam perfeitos como perfeito é o Pai celestial de vocês".(Mateus 5:48)?

Eu suponho que parte dessa resposta é que aprendemos a sermos mais zelosos contra nossas próprias imperfeições, mais do que as dos outros. Lembre-se da Trave e do Cisco. Outra parte da resposta é aquela em que nós não tratamos todas imperfeições com igual seriedade. Roer as unhas não se equipara com a pedofilia. A terceira parte da resposta é a que nós não destruímos relacionamentos na busca pelo aperfeiçoamento das pessoas. Isso pode parecer um compromisso com a maldade, mas Deus conhece nossos corações, e nós podemos deixar com ele nossa vingança. (Se existir alguma!).

Mas, esta não é a resposta completa. O resto é milagre! E eu oro por isso.

Com muito afeto,

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org