A Estranha Tarefa de Testificar a Respeito da Luz

Testificar a respeito da luz é uma tarefa estranha se seu objetivo é que as pessoas vejam a luz e acreditem nela. A luz é iluminada por si própria. Quando você quer que alguém veja uma luz, você não testemunha sobre ela, você a mostra. Se você tem uma tocha em sua mão, e quer que alguém veja essa tocha, você não diz: "Isso é uma tocha." Você mostra a tocha.

Mas João 1:7 diz que João Batista "veio como testemunha para que testificasse a respeito da luz." Então por mais estranha que seja essa tarefa, era a missão de João. E é a nossa também.

Então o que aprendemos sobre nossa tarefa quando ela é descrita como testificar a respeito da luz?

1.Nós aprendemos que Cristo, a Luz do mundo (João 8:12), não brilha como uma tocha física diante dos olhos físicos, mas como uma glória espiritual diante dos olhos espirituais. Essa é a razão pela qual Jesus disse "porque vendo, não veem" (Mateus 13:13). E foi por isso que Paulo orou em Efésios 1:18 para que tivessem "iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento." Temos uma visão para a qual usamos os "olhos do coração", não apenas os olhos da cabeça.

2. Nós aprendemos que a luz de Cristo, esta glória espiritual que nós vemos com os olhos do coração, brilha sobretudo através do evangelho. Isto é, ela brilha principalmente através do testemunho de seres humanos sobre o que Jesus realizou quando ele morreu e ressuscitou. Isso é estranho. A luz brilha através de palavras. Paulo diz em 2 Coríntios 4:4-6:

O deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. . . . Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.

A glória de Cristo é Sua luz. Essa glória, diz Paulo, brilha como "a luz do evangelho". Isso quer dizer que ela brilha através de uma testemunha. Quando testemunhamos sobre o que Cristo realizou por nós em Sua morte, nós estamos "testificando a respeito da luz". É assim que a luz de Cristo brilha nesse mundo. Obras de amor são cruciais para esse brilho (Mateus 5:14-16). Mas apenas obras não podem testificar efetivamente da grande glória de Cristo, especificamente, sua conquista na cruz. Essa luz brilha através do evangelho na boca de testemunhas.

3. Nós aprendemos que as pessoas precisam ter os olhos de seus corações abertos para ver a luz de Cristo no evangelho. Jesus disse para Paulo que fosse testemunha da luz: "agora te envio para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados" (Atos 26:17-18)

Deus realiza esse trabalho de abrir dos olhos através do testemunho humano. Lucas nos conta como Lídia viu a luz: "o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia" (Atos 16:14). Paulo testemunhou. Deus abriu o coração dela. Então Paulo roga que isto aconteça: "não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações, [para que sejam] iluminados os olhos do vosso coração" (Efésios 1:16,18). Deus responde aquela oração descrita em 2 Coríntios 4:6 "[Deus] resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo".

Portanto, nós testemunhamos sobre a luz, mesmo sabendo que as pessoas estão cegas para essa luz. Mas isso não nos desanima, porque nós sabemos que o poder de Deus de abrir os olhos acompanha o testemunho a respeito de Seu FIlho.

4.Nós aprendemos que o milagre da visão espiritual através do evangelho acontece quando testemunhas dizem à pessoas cegas que olhem para Cristo e então descrevem o que elas verão quando olharem pra Ele. Existe uma analogia mental para esta realidade espiritual. Considere uma ilusão óptica como esta:

Ilusão ótica que pode ser tanto um tocador de saxofone quanto uma mulher.

Suponha que uma pessoa veja apenas uma figura nessa ilustração. Ela está "cega" para a outra. Então você "testemunha" para ela: "veja isto, aqui existem duas figuras: o rosto de uma menina e um homem tocando saxofone". É exatamente esse testemunho que abre os olhos dela para ambas as figuras.

É apenas uma analogia, porque na área espiritual o processo não é meramente mental ou natural. É espiritual e sobrenatural. Mas nós podemos ter uma ideia de como é possível estar espiritualmente cego e ainda assim Deus pode usar uma testemunha para abrir nossos olhos.

Portanto, não deixe que a estranha tarefa de testificar a respeito da luz te paralise. Ela é gloriosamente estranha. É estranha de uma forma que nos dá a esperança de que realmente podemos ajudar os cegos a ver. É estranha de uma forma que dá toda glória a Deus—tanto no evangelho em si quanto no modo como as pessoas veem a glória de Cristo no evangelho.

Vendo e falando sobre a Luz com você,

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org