O que é uma "Raiz de Amargura"?

"Amargura" é normalmente associada à raiva e ressentimentos. Mas é esse o significado em Hebreus 12:15? "Atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados"? Acho que não.

Vamos fazer algumas perguntas. Primeiramente, "raiz de amargura" significa que a raiz é amargura (como bloco de madeira)? Ou significa que a raiz cresce como planta e traz o fruto amargo? Segundo, "amargura" em Hebreus 12:15 significa "raiva infecciosa", ou significa "venenosa e horrível"? Terceiro, de onde vem esta imagem de uma "raiz de amargura"?

Vamos começar pela última pergunta. Resposta: Ela vem de Deuteronômio 29:18. "Para que, entre vós, não haja homem, nem mulher, nem família, nem tribo cujo coração, hoje, se desvie do SENHOR, nosso Deus, e vá servir aos deuses destas nações; para que não haja entre vós raiz que produza erva venenosa e amarga." Esse pano de fundo também nos ajuda a responder as duas primeiras perguntas: a raiz não é em si mesma a amargura, mas produz fruto de amargura. E a amargura que ela produz é algo venenoso. Esse fruto amargo pode ser uma raiva infecciosa, ou algo mais. A questão é que isso parece ser mortal.

A pergunta chave é: o que é esta raiz que faz brotar fruto amargo e mortal na igreja? O versículo seguinte em Deuteronômio 29 dá a resposta surpreendente, mas encaixa-se perfeitamente com o livro de Hebreus. Versículo 18 termina assim: "...para que não haja entre vós raiz que produza erva venenosa e amarga." E então o verso 19 começa definindo essa raiz: "...ninguém que, ouvindo as palavras desta maldição, se abençoe no seu íntimo, dizendo: Terei paz, ainda que ande na perversidade do meu coração, para acrescentar à sede a bebedice."

O que é então a raiz que produz o fruto amargo? É a pessoa que tem a visão errada da segurança eterna. Sente-se seguro quando não está seguro. Ele diz, "Terei paz [=segurança], ainda que ande na perversidade do meu coração." Ele não entende direito a aliança que Deus fez. Ele pensa que porque é parte do povo da aliança, ele está livre do julgamento de Deus.

Esse tipo de suposição é o que o livro de Hebreus trata repetitivamente - cristãos professos que achavam estar seguros por causa de alguma experiência espiritual passada ou alguma associação presente com o povo cristão. O objetivo de Hebreus é curar os cristãos da suposição, e cultivar fervorosa perseverança em fé e santidade. Pelo menos quatro vezes o livro nos alerta que não devemos rejeitar nossa grandiosa salvação, mas estar vigilantes para lutar a luta da fé todos os dias para não ficarmos endurecidos, e nos afastarmos, e provar que não tínhamos parte com Cristo (2:3; 3:12-14; 6:4-7; 10:23-29).

Esse também é o objetivo do contexto do termo "raiz de amargura" em Hebreus 12:15. "Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor, atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados" (12:14-15). Esse é um alerta não para tratar a santidade brandamente ou para presumir mais graça.

Portanto, uma "raiz de amargura" é a pessoa ou doutrina na igreja que encoraja as pessoas a agirem presunçosamente e tratar salvação como coisa automática que não requer uma vida de vigilância na luta da fé e busca por santidade. Tal pessoa ou doutrina contamina muitas pessoas e pode levar à experiência de Esaú, que tratou levianamente sua herança e não pode arrepender-se no fim, e encontrar vida.

Sensatamente,

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in physical form, in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For posting online, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. For videos, please embed from the original source. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org