Deus nos Ama Mais Quando Ele nos Ama Para a Sua Glória

Deus nos Ama Mais Quando Ele nos Ama Para a Sua Glória

Algumas pessoas se sentem menos amadas quando ouvem que Deus as ama por Sua própria causa. Mas, na verdade, Seu amor por nós é ainda maior por Ele nos amar dessa forma.

Eu quero ajudá-lo a sentir-se mais amado pois Deus valoriza mais você quando Ele valoriza você dessa forma.

Aqui estão alguns exemplos do que quero dizer quando falo que Deus efetua todos os seus atos de amor por nós de forma que revele que Ele nos ama para Sua própria glória:

1. Deus nos ama por nos predestinar para adoção em Sua família (Efésios 1:5-6).

"Em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos para louvor da glória de sua graça". O objetivo definitivo de nossa adoção é a glorificação da graça da adoção. E isso, Paulo diz, é feito "em amor". O amor de Deus por nós é para a glória de Deus.

2. Deus nos ama por nos criar (Isaías 43:6-7).

" . . . Todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para minha glória". Se Deus não tivesse te criado, você não estaria lá para ser amado. Assim, sua criação é parte do amor de Deus por você. Ele te trouxe à existência para que você possa apreciar para sempre tudo de bom que ele planeja para você. E Ele fez isso, Ele mesmo diz, para Sua glória.

3. Deus nos mostra Seu amor por nós ao nos enviar um Salvador (Lucas 2:10-14).

"O anjo lhes disse: vos trago novas de grande alegria . . . . Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador . . . . No mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas alturas".

Nós recebemos o Salvador; Ele recebe a glória. Nós recebemos as "novas de grande alegria"; Deus recebe o louvor. Esse é o plano de Deus ao nos enviar Seu Filho. É assim que Ele nos ama.

4. Deus nos ama pela morte de Cristo por nós (2 Coríntios 5:14-15).

"O amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou".

Paulo nos mostra o objetivo do amor de Cristo: para que possamos viver para Ele! O que isso significa? Ele não precisa de nossa ajuda. Viver para Ele não significa viver para compensar Suas deficiências. Ele não tem nenhuma. Significa viver para mostrar Sua grandeza. Era esse o Seu objetivo ao nos amar — nosso viver para Sua glória.

5. Deus nos ama em nos tornar espiritualmente vivos (Efésios 2:4-7).

"Pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)". Essa "graça", lembre-se, é a graça pela qual Ele nos predestinou para o louvor — "para louvor e glória da sua graça" (Efésios 1:6).

Mas o que aquela graça está fazendo aqui? Paulo a descreve como o "muito amor" de Deus nos vivificando quando estávamos mortos. A razão pela qual cada um de nós foi vivificado da morte de nossa incredulidade é que Deus teve "muito amor" por nós.

Perceba isso. Deus não ama todo mundo com esse "muito amor". Se fosse assim, todo mundo seria "vivificado". É um amor particular que O moveu para escolhê-lo para Ele e para vivificá-lo. Portanto Ele te ama com "muito amor" para a glória de Sua graça.

6. Deus nos ama pela forma que Jesus ora por nós (João 17:24).

"Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória". Jesus está orando por Suas ovelhas. Ele está nos amando até ao fim (João 13:1). E o que Ele pede é que nós possamos estar "com Ele" e que possamos "ver Sua glória". Sua glória é o tesouro final. Nosso Salvador, não nosso eu, será o âmago de nossa alegria.

O objetivo desses seis textos é mostrar que, por toda a Bíblia, Deus efetua todos Seus atos de amor por nós de forma a revelar que Ele nos ama para Sua própria glória.

O Amor de Deus Centrado em Deus É o Maior Amor por Nós

Porquê Deus nos lembra sempre que Ele nos valoriza de uma forma que é designada fundamentalmente para dar valor a Ele?

A resposta é essa: Amar-nos assim é o maior amor. O amor de Deus por nós, que nos valoriza para Sua glória, é um amor maior do que se Ele no fim nos fizesse nosso maior tesouro, ao invés dEle mesmo. Fazer dEle mesmo o nosso objetivo é um amor maior do que nos fazer Seu objetivo. A razão pela qual isso é um amor maior é que o eu, não importa o quão glorificado por Deus (Romanos 8:30), nunca satisfará um coração que foi feito para Deus.

Deus ama Seu povo infinitamente. Ele enviou Seu Filho para morrer para que Ele pudesse nos ter, e para que nós pudessemos tê-Lo (1 Pedro 3:18). Ele não nos deixará contentarmo-nos com pensamentos maravilhosos e felizes do nosso eu. Nem mesmo de um eu salvo, glorificado. Ele não deixará que nossa glória, a qual Ele mesmo cria e na qual Se deleita, substitua Sua glória como nosso tesouro supremo. Isso não seria amor.

Nós somos amados por Deus. Nós somos preciosos para Deus e o maior presente que Ele tem para nós é não deixar nossa preciosidade se tornar nosso deus. Deus será nosso Deus. Somente Deus, para sempre. E isso é amor infinito.

Quando experimentamos esse amor profundamente—quando somos compelidos por esse amor em tudo—Deus é grandemente glorificado.

John Piper (@JohnPiper) is founder and teacher of desiringGod.org and chancellor of Bethlehem College & Seminary. For 33 years, he served as pastor of Bethlehem Baptist Church, Minneapolis, Minnesota. He is author of more than 50 books.