Como ser Interessante e Inútil

Como ser Interessante e Inútil

O objetivo desta pequena exortação é que, no manusear as Escrituras, santificação e especulação aumentam e diminuem em proporção inversa. Com o aumento da especulação, a santificação diminui. Quanto mais adivinhação, menos bênção.

Poucas pessoas dariam suas vidas por uma especulação. Poucos vão arrancar um olho ou cortar a mão, por causa de uma adivinhação. Suposições fazem fracas exposições.

Este é o tipo de coisa que eu tenho em mente.

Pregadores, professores, e líderes de estudos bíblicos às vezes são tentados a especular porque as "possibilidades" são tão interessantes.

  • Por exemplo, o que dizer das possíveis aparições de Cristo no Antigo Testamento? Quando se diz que Deus estava andando no Jardim do Éden (Gênesis 3:8) poderia isto ter sido Cristo? Era Melquisedeque realmente o próprio Cristo em Gênesis 14? Quando "o Senhor" apareceu a Abraão em Gênesis 18 foi isto uma aparência pré-encarnada de Cristo? Quando Jacó lutou a noite toda com "um homem" (Gênesis 32:24) era Cristo? Foi a quarta pessoa na fornalha ardente (Daniel 3:25) Cristo?

  • Poderia a divisão das águas do Mar Vermelho ser explicada por Deus usando uma catástrofe cósmica para criar as condições atmosféricas que fizeram as águas dividir?

  • Havia um documento escrito contendo todo o material comum a Mateus e Lucas mas faltando em Marcos, que poderíamos chamar de Q para o alemão Quelle, que significa fonte?

  • Foi a pobreza, mais tarde, da igreja em Jerusalém (Romanos 15:26) devida à má aplicação da política no início de ter "tudo em comum" (Atos 2:44, 4:32)?

  • Era Paulo viúvo? Ou será que sua esposa o deixou quando ele se tornou um cristão? Ele teve filhos?

  • Será que Maria Madalena tinha uma queda por Jesus? Jesus teve que lidar com mais tentações do que geralmente pensamos?

  • Quando Paulo proibiu mulheres de ensinar e ter autoridade sobre os homens em 1 Timóteo 2:12 houve um problema na igreja como as mulheres tomando autoridade e ensinando, quando não estavam preparadas para fazê-los? Foi esta a única razão pela qual Paulo proibiu-as — porque elas não estavam prontas?

Veja o Que Está Lá

Meu ponto é que as pessoas precisam de alimento sólido, não alimento possível. Eles precisam de uma palavra segura de Deus, não uma suposição do homem. Eles precisam de um bíblico "Assim diz o Senhor," não um "Talvez Deus disse."

Um fascinante desvio homilético de cinco minutos sobre o que poderia estar acontecendo em Corinto por trás deste ou daquele texto é um desperdício de tempo precioso. E eu acho que isso treina o nosso povo a esperar interlúdios de entretenimento histórico, e confundi-lo com uma visão profunda e alimento espiritual.

O que realmente está lá no texto da Escritura é infinitamente profundo, e incrivelmente interessante, e provocante. Especulação não é necessária para prender a atenção das pessoas. Se um pastor acha o que poderia ter sido mais interessante ao invés do que o que realmente está lá no texto, ele precisa de melhores poderes de observação, não melhores poderes de especulação. Ele precisa de uma sensação melhor para a maravilha que é, do que uma fantasia maior para o que poderia ter sido.

E Sobre a Poesia?

Duas qualificações:

  1. Poesia e pregação não são a mesma coisa. Ficção esclarecedora e exposição autoritária não são as mesmas. Adoro poesia e ficção. Estas são por natureza inventiva. Elas também têm o seu lugar e seu poder. Mas o poder santificador que elas têm é devido decisivamente as verdades mais profundas que transmitem, não as estruturas imaginativas que elas transmitem.

  2. Quando um texto da Escritura é aparentemente contraditório, e há pouco consenso sobre qual é a solução, é útil para as pessoas verem uma ou duas possíveis e plausíveis soluções. Estas serão mais ou menos especulativas. Nós dizemos a nosso povo que não temos certeza da resposta. Nós não queremos que elas tomem os nossos palpites como palavra de Deus. Mas oferecemos os nossos palpites para que elas possam ver pelo menos a possibilidade de que haja uma solução aqui ao invés de uma contradição.

Mergulhe Mais Profundamente

Então eu digo mais uma vez, a necessidade desesperada no púlpito e na sala de aula não é a de gastar tempo especulando sobre o que poderia ter sido o caso, mas aprofundando-se no que realmente está lá no texto. A maioria de nós ainda está arranhando a superfície.

Se soubermos com certeza algo que não está na Bíblia, e vemos que derrama verdadeira luz sobre a Bíblia, isso é outro assunto. Que assim seja. Mas a minha sensação é de que a literatura secundária não é mais fácil de interpretar do que a Bíblia. O que significa que os textos secundários não são mais claros do que os textos bíblicos que supostamente iluminam. É uma coisa prejudicial ensinar seminaristas a ver a Bíblia como precisando de ajuda de fora, enquanto falham em ver que os documentos de fora também precisam de ajuda de fora.

Pastores e professores têm um tempo muito limitado para o estudo. O oceano de Escritura compreensível contextual é infinitamente profundo. Meu apelo é simples: mergulhe mais profundamente no que está lá.

John Piper (@JohnPiper) is founder and teacher of desiringGod.org and chancellor of Bethlehem College & Seminary. For 33 years, he served as pastor of Bethlehem Baptist Church, Minneapolis, Minnesota. He is author of more than 50 books.