Como Sua Visão Incomum Sobre o Divórcio Afeta Seu Ministério aos da Sua Igreja?

Sua visão a respeito de divórcio e novo casamento é mais restrita que a de muitos cristãos, mesmo em sua igreja. Como isto afeta o seu ministério para com eles?

Bem, é verdade, e seria bom apenas esclarecer o que isto significa. Meu entendimento é que o ideal de Cristo para o casamento é um homem e uma mulher em aliança enquanto ambos viverem, de forma que se o divórcio ocorrer, isto não torna uma pessoa livre para casar-se novamente enquanto seu cônjuge ainda estiver vivo.

Esta é a visão da minoria. Não é a visão compartilhada, suponho eu, por muitos cristãos. Mas é como eu vejo. Este é o meu entendimento de todos os textos nos Evangelhos, bem como de Paulo em 1 Coríntios 7, 15 e Romanos 7.

A forma como isto afeta as pessoas de minha igreja é que eu preguei uma série de mensagens acerca de casamento, e duas delas se enquadravam nessa questão. E eu simplesmente as olhei diretamente nos olhos e disse, "Nós na igreja não temos uma visão única sobre isso, nem mesmo entre os oficiais da igreja. Então o que você faz? Na igreja você não pode disciplinar as pessoas por conta própria. Disciplina eclesiástica não é isso. Disciplina eclesiástica é quando a igreja age. Se a igreja, então, não tem uma visão clara sobre um determinado assunto, ela não pode agir. Eu não posso expulsar alguém da igreja por um ato sobre o qual a própria igreja está dividida pela metade. Portanto, temos que entender quem somos como igreja."

Assim, o que fizemos foi elaborar uma declaração sobre a qual eu e os líderes pudéssemos concordar. Fomos tão longe, biblicamente, o quanto nos foi possível em concordância, e isso funciona como a forma pela qual nos responsabilizamos mutuamente.

Agora, emocionalmente, é estranho. É mesmo. E ainda assim tenho sido muito grato que, pelo tanto que compartilhamos entre nós em níveis tão profundos, amplos, fortes e eternos, mesmo pessoas divorciadas que sabem que desaprovo o que fizeram podem se relacionar comigo e eu com elas. Isto porque minha posição é que uma vez que você se comprometeu em um casamento no qual você não deveria ter entrado, Deus é capaz redimi-lo.

Há muitas pessoas que estão em casamentos em que eles próprios diriam, "Eu não deveria ter entrado." Eles podem ter se casado com um incrédulo, por exemplo, mas que agora é convertido. Mas divórcio seria uma coisa, isto seria outra.

Eles sabem que o casamento nunca deveria ter acontecido, e ainda assim, dada a natureza da graça e a capacidade de Deus de redimir algo — e há tantos lugares na Bíblia onde ele redime coisas que não deveriam ter ocorrido e as usa para sua glória — eles sabem que estou lhes dizendo agora mesmo: "Eu sou por este casamento de vocês. Ele não deveria ter acontecido, mas eu vou trabalhar com vocês para torná-lo tão bom quanto possa ser."

Nem todos compartilham esta visão. Mas muitos sim, e eu penso, por causa da graça, que podemos ter um relacionamento muito redentor.

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org