Convém que Ele cresça e que eu diminua

Depois disto, foi Jesus com seus discípulos para a terra da Judéia; ali permaneceu com eles e batizava. 23 Ora, João estava também batizando em Enom, perto de Salim, porque havia ali muitas águas, e para lá concorria o povo e era batizado. 24 Pois João ainda não tinha sido encarcerado. 25 Ora, entre os discípulos de João e um judeu suscitou-se uma contenda com respeito à purificação. 26 E foram ter com João e lhe disseram: Mestre, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tens dado testemunho, está batizando, e todos lhe saem ao encontro. 27 Respondeu João: O homem não pode receber coisa alguma se do céu não lhe for dada. 28 Vós mesmos sois testemunhas de que vos disse: eu não sou o Cristo, mas fui enviado como seu precursor. 29 O que tem a noiva é o noivo; o amigo do noivo que está presente e o ouve muito se regozija por causa da voz do noivo. Pois esta alegria já se cumpriu em mim. 30 Convém que ele cresça e que eu diminua.

Agora Jesus acabou de falar a Nicodemos, e a cena muda para uma região de campos da Judéia, onde Jesus e seus discípulos estão batizando (embora João 4:2 diz que "Jesus mesmo não batizava, e sim os seus discípulos"). Versículo 22: "Depois disto, foi Jesus com seus discípulos para a terra da Judéia; ali permaneceu com eles e batizava." Isso é em parte o modo como Jesus foi ajuntando seguidores: Eles significavam seu arrependimento e fé no batismo.

Dois Grupos de Batizadores

Então o versículo 23 traz João Batista novamente e nos prepara para o ponto principal desta seção. Versos 23-24: "Ora, João estava também batizando em Enom, perto de Salim, porque havia ali muitas águas, e para lá concorria o povo e era batizado. Pois João ainda não tinha sido encarcerado." Então a situação está definida: o grupo de seguidores de Jesus está batizando, e o grupo de seguidores de João está batizando.

Por alguma razão, isso provoca uma discussão sobre a purificação entre os discípulos de João e um certo judeu. Verso 25: "Houve, então, uma questão entre os discípulos de João e um judeu, acerca da purificação." Então o assunto é a purificação, e o que parece ter iniciado a discussão foi os dois grupos que batizavam.

Uma Discussão Sobre a Purificação?

Isso é tudo o que nos é dito. O debate nunca é descrito. Na verdade, quando os discípulos de João vieram a ele com o assunto, não soava como uma questão de purificação. Versículo 26: "E foram ter com João e lhe disseram: Mestre, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tens dado testemunho, está batizando, e todos lhe saem ao encontro."

Então, qual é a discussão acerca da purificação? Podemos apenas imaginar. Talvez foi algo assim: um homem judeu diz aos discípulos de João: "Olha, você está batizando muitas pessoas. Parece uma espécie de banho ou purificação. Mas cada vez mais e mais pessoas estão deixando o seu grupo e indo para aquele outro que se ajunto em torno de Jesus. Então o que há com o batismo dele e o seu batismo? O dele funciona e o seu não? Será que o dele realmente faz as pessoas puras e seu é falho? "

Uma Nova Direção na Conversa

Talvez a discussão sobre a purificação era algo assim. Não parece ser a questão principal conforme o texto segue. Nunca se referem a ela novamente. Parece apenas iniciar as coisas e então desaparecer. Mas pode ser que não seja o caso. Veremos isso.

O que parece nos versículos 27-30, é que João Batista leva a conversa para uma direção que parece não ter nada a ver com a purificação e tudo a ver com quem Jesus é (como o noivo), com quem João é (como o amigo do noivo) e com o que está acontecendo em seus ministérios (como a noiva deixa João e vai para o noivo) e, especialmente, como João responde a tudo isso em seu coração.

João Batista Repete

Agora, para descobrir o que está acontecendo nesta passagem, pare e pergunte-se comigo por que João, o escritor deste Evangelho, traz João Batista de volta à cena novamente. Lembre-se que existem centenas e centenas de coisas que poderiam ser ditas sobre Jesus que João está deixando de lado. Lembre-se de João 21:25: "Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos."

Então porque que aqui, logo após a conversa com Nicodemos, João traz João Batista para dizer no versículo 28: "eu não sou o Cristo", dizer no versículo 29: "eu não sou o noivo, mas só um amigo do noivo", e dizer no versículo 30: "convém que ele cresça e que eu diminua"?

A Alegria de João em Jesus Aumenta

Ouvimos este assunto antes. João 1:8: Ele não é a luz. João 1:20: Ele não é o Cristo. João 1:21: Ele não é Elias, e nem o profeta. João 1:23: Ele é apenas uma voz que clama no deserto. João 1:27: Ele não é digno de desamarrar as sandálias de Jesus. E muito mais. João já se humilhou e já exaltou a Cristo. Por que o escritor trouxe-o aqui novamente para fazer isso de novo, se humilhar e exaltar a Jesus?

Eis o que eu acho que é o motivo. João não apenas se repetiu aqui. Há coisas novas que ele diz e novas emoções expressas. Minha resposta para por que João Batista é trazido aqui com estas palavras é que ele representa uma espécie de resposta ao que Jesus tinha recém dito que confirma o que ele disse e responde a isso em seu coração de uma forma que muitos naquele dia e neste acham ininteligível, isto é, alegria abundante em si mesmo ficando menor e Jesus ficando cada vez maior.

A Atenção Está Indo para Jesus

Veja como o versículo 29 enfatiza a alegria de João Batista: "O amigo [que é João] do noivo [que é Jesus] que está presente e o ouve regozija-se muito nas voz do esposo. Pois esta alegria já se cumpriu em mim." Essas palavras são fortes: "muito se regozija" e "esta alegria já se cumpriu em mim." Grande alegria. Alegria completa. Tudo graças a quê?

O noivo está recebendo toda a atenção. As câmeras estão todas fotografando na sua direção. O arroz está voando todo na sua direção. A lua de mel é na sua direção. E ninguém olha para trás para a voz silenciada sentada nos degraus da igreja. A voz do Esposo, a voz do Pastor, substituiu a voz que clama no deserto. E em poucos meses, a espada de Herodes, com certeza vai calar a voz de João (conforme versículo 24). E a resposta de João para isto, para esta diminuição, esta redução? Essa minha grande alegria agora está completa (versículo 29).

"Quem é Este Egomaníaco?"

Essa não foi a resposta de Nicodemos para Jesus. E hoje há muitos que acham essa resposta para a exaltação de Jesus (acima de seus amigos) ininteligível.

Na última terça-feira, dia 13 de maio, por exemplo, NPR (Rádio Pública Nacional) transmitiu uma entrevista com um autor que citou Jesus em Mateus 10:37-38 e perguntou em seu livro, "Quem é o egomaníaco falando estas palavras?" O que Jesus disse foi:

Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; e quem não toma a sua cruz e vem após mim não é digno de mim.

Jesus está claramente exigindo que valorizemos ele sobre tudo e todos. Para muitas pessoas hoje em dia, isso é pura egomania. E as pessoas que respondem dessa forma acham a reação de João Batista ininteligível. É o oposto da sua própria. Eles veem que Jesus exige que nós o amemos mais do que ninguém, que o sigamos, confiemos nele, desfrutemos dele, sejamos satisfeitos nele, deliciemo-nos com ele, obedecendo-lhe mais do que qualquer outra pessoa. Isso é verdade. Ele exige. E sua resposta é exatamente a oposta da de João Batista. Eles permaneceram onde Nicodemos estava. Boquiabertos (João 3:9). Ou chocados.

Quando Jesus Aumenta, a Alegria Aumenta

Mas João Batista diz nos versículos 29-30: "Pois esta alegria já se cumpriu em mim. Convém que ele cresça e que eu diminua." Quando Jesus se torna maior no mundo e eu me torno menor do mundo, minha alegria aumenta. E quando este é o propósito e o plano do próprio Jesus, não é egomania. É amor.

Então, minha resposta para a pergunta de por que João Batista é trazido aqui: é para ilustrar uma reação alegre para as coisas radicais que Jesus tinha dito a Nicodemos sobre si mesmo e sobre a obra soberana de Deus na salvação. Você poderia chamá-la de uma resposta alegre à soberana autoexaltação de Deus.

Como João Vai Responder?

Vamos dar uma olhada para ver a conexão mais de perto. Jesus tinha dito no versículo 21 que, ao contrário do homem que ama as trevas e odeia a luz, o homem que pratica a verdade "vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus." Em outras palavras, uma das principais marcas da pessoa nascida de novo é que ela ama que possa ser visto claramente que o seu novo nascimento, as suas novas ações, nova atitude, novos afetos "são feitos em Deus." Ou seja, no poder de Deus. Ela gosta de deixar claro que sua novidade é uma obra de Deus, uma obra da graça soberana.

Agora, observe como as palavras de João Batista se relacionam com isso. Os discípulos de João dizem no final do versículo 26 que João está perdendo seguidores: "Todos estão indo para ele." Qual será a resposta de João?

Este é o Plano de Deus

Versículo 27: "João respondeu e disse: O homem não pode receber coisa alguma, se lhe não for dada do céu." Sua resposta é que a razão pela qual essas pessoas estão deixando ele e indo para Jesus é que Deus está dando-lhes para Jesus. "O homem não pode receber coisa alguma", uma pessoa, muito menos uma multidão, "se lhe não for dada do céu (isto é, de Deus)." Esse é o ponto do versículo 21, as pessoas que vêm a Jesus amam mostrar claramente que Deus lhes deu para Jesus. Este é exatamente o que vimos da última vez em João 6:37, "Todos aqueles que o Pai me virão a mim."

Em outras palavras, estas palavras de João Batista estão aqui porque marcam e confirmam a obra soberana de Deus em pessoas que vêm a Cristo, o que Jesus recém falou em João 3:21 e 3:8. "Você quer saber por que eles estão se afastando de mim e indo a Cristo", diz João. "Deus está fazendo isso. Ele está dando-lhes o seu Filho (6:37, 44, 65). E vai ser visto claramente que a sua ida foi feita no poder de Deus."

Então, no versículo 28, João diz a seus discípulos que isso não é surpresa, porque Deus o enviou para isto mesmo, para que as pessoas se afastassem dele e fossem para Cristo. Versículo 28: "Vós mesmos sois testemunhas de que vos disse: eu não sou o Cristo, mas fui enviado como seu precursor." Deus o enviou para isso. Este era o plano de Deus. Reunir o povo e depois abandoná-lo. Subir como uma estrela no deserto e, em seguida, queimar como um meteorito. Esse é o plano. João sabe disso. E conforme isso acontece, sua alegria aumenta.

A Voz do Noivo

Então ele totalmente nos surpreende com uma nova imagem no versículo 29. "Aquele que tem a esposa é o esposo; mas o amigo do esposo, que lhe assiste e o ouve, alegra-se muito com a voz do esposo. Assim, pois, já essa minha alegria está cumprida."

Por que a menção da voz do noivo? Por que o amigo do noivo, João Batista, se regozija grandemente com a voz do noivo? Talvez apenas porque sua voz significa que ele está aqui. E o amigo está feliz que ele está aqui. Mas eu suspeito que é mais do que isso. João Batista descreveu a si mesmo em João 1:23 como "a voz" que clama no deserto. Sua própria voz reuniu uma multidão. Mas agora eles estão todos saindo e indo para Jesus. Por quê? Porque uma outra voz está sendo ouvida. Uma voz maior. Uma voz mais forte. "As ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas e as traz para fora. . . . As ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz" (João 10:3-4).

O noivo tem a noiva porque a noiva tem uma voz, e a noiva conhece a voz de seu marido. E ela deixa João e vai até ele. João se alegra com a voz do noivo não apenas porque o noivo está aqui, mas porque a voz reúne a noiva, e a reúne exatamente longe de João. É por isso que as próximas palavras que saíram de sua boca, no versículo 30, são "Convém que ele cresça e que eu diminua." Deve</ em> ser assim. E nisso eu me alegro.

O Divino Convém

O "convém" do versículo 30 é muito importante. Este é o convém de Deus. É o convém de um plano divino. No versículo 27, Deus dá as pessoas para Jesus, e elas deixam João Batista e vão a Jesus. Isto é obra de Deus. Isso faz parte do "convém" do versículo 30.

E no versículo 28, Deus envia João não para ser o Cristo, mas para ir antes e apontar para ele. Então, é o plano de Deus que João reúna uma multidão e então os envie para Jesus. Isso faz parte do divino "convém" do versículo 30.

A Voz Superior de Jesus

Então, no versículo 29, João se foca na voz do noivo. Esta é uma voz superior à sua própria voz. Esta voz ressuscita os mortos (5:25; 11:43). Esta voz é conhecida por todas suas ovelhas, e elas a seguem (10:3-4). Esta voz corteja e ganha a noiva. Ela conhece seu marido e vai a ele. Aquele que tem a noiva é o noivo. Sabemos disso, ela não iria para outro. Isto é obra de Deus. Isso faz parte do "convém" do versículo 30.

Então João resume a obra de Deus no versículo 30: "Convém que Ele cresça e que eu diminua." Ele deve. Este é o plano de Deus. O Filho de Deus, o noivo, será exaltado. Ele vai ser glorificado. Ele vai crescer aos olhos do homem. Ou, como diz o versículo 21, será "visto claramente" que as obras novas de todo o seu povo são sua obra.

Vendo a Resposta de João, e Imitando-a

E ao contrário de toda a natureza humana comum, é por isso que João Batista exulta com grande alegria e diz que sua alegria está finalmente completa. Versículo 29-30: "[Ele] muito se regozija por causa da voz do noivo. Pois esta alegria já se cumpriu em mim. Convém que ele cresça e que eu diminua."

É por isso que João, o escritor deste Evangelho, registra estas palavras aqui. Nicodemos ficou perplexo com a soberania de Deus que exalta a Cristo no novo nascimento. João viu isso e adorou: "Ninguém me deixa e vai para Jesus a menos que seja dado a ele do céu (versículo 27). E lá vão eles, longe de mim para Jesus, de modo que isto é obra vinda do céu. Esta é a glorificação do Filho, do Pastor, do Noivo, da voz soberana. Ele cresce, e eu diminuo. E esta é a plenitude da minha alegria."

Isso é o que João, o autor do Evangelho, quer que vejamos. E que sejamos.

E a Respeito da Purificação?

Uma última observação. Tudo isso começou no versículo 25 por conta de uma discussão acerca de purificação. Versículo 25: "Houve, então, uma questão entre os discípulos de João e um judeu, acerca da purificação." João não tinha nada a dizer sobre isso? Ele acabou deixando isso para trás?

Julgue você. Se João se referia a Jesus do jeito que ele fez em 1:29, "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!", diríamos: É isso! Aí está a conexão com a purificação do pecado. O Cordeiro foi sacrificado pelos pecadores e purifica-os de seus pecados.

A Esposa Purificada do Cordeiro

Mas em vez disso, no versículo 29, João fala de Cristo como o noivo e a igreja como a noiva. Mas será que existe uma conexão entre estes dois na mente de João, dos dois Joãos (o Batista e o escritor do Evangelho)? Veja Apocalipse 21:9: "Venha, e eu lhe mostrarei a Noiva, a Esposa do Cordeiro." A noiva é a esposa do Cordeiro. Assim, o Noivo é o Cordeiro que tira o pecado do mundo.

Então, talvez não seja surpreendente ouvir Paulo falar de Cristo como o noivo da igreja, e explicitamente dizer que ele santifica-a e purifica-a. Efésios 5:25-27:

Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo [o noivo] amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.

Então, quando João nos diz que Jesus é o noivo e que ele tem a noiva, ele está de fato respondendo a pergunta sobre a purificação. O noivo é o Cordeiro. O noivo se entrega por sua noiva e purifica-a de todos os seus pecados.

Virando-se para o Salvador

E assim, no final, não é mais tão estranho que João Batista ao ver esse noivo crescer, e ver todos os seus seguidores se voltarem para o noivo, vendo-se diminuindo, diga: "nisto minha alegria já se cumpriu", não é?

Eles não estão se voltando para um egomaníaco. Eles estão se voltando para um Salvador. Um Cordeiro. Um Protetor. Um Provedor. Um Líder. Como ninguém que eles já conheceram. Como poderiam não amá-lo mais do que qualquer outra pessoa?

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org