Como mortificar o Pecado, Parte 1

Ora, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça. E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo Jesus há de vivificar também os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita. Portanto, irmãos, somos devedores, não à carne para vivermos segundo a carne; porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes com temor, mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba, Pai! O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus; e, se filhos, também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.

Há três semanas eu toquei a trombeta para Plantar uma Paixão – para despertar um sonho em você de espalhar uma paixão pela supremacia de Deus em todas as coisas para a alegria de todos os povos formando uma igreja com um novo, forte, centrado em Deus, exaltando a Cristo, saturado da Bíblia, mobilizado em missões, ganhadores de almas, perseguidores da justiça em algum lugar além das cidades de Twin. Eu oro para que esta visão de Plantar uma Paixão esteja latente em todos vocês.

Um Chamado para os Perseguidores da Justiça, Cristãos Coronarianos

Então, nas duas últimas semanas, vivenciamos um pouco do que significa ser uma igreja que persegue a justiça. Focamos, há duas semanas, na justiça racial, e nos concentramos, na semana passada, na questão da justiça dos bebês que sofrem devido ao aborto. E, em geral, o meu apelo foi para que Deus possa criar cristãos perseguidores da justiça e cristãos coronarianos na Igreja Batista Belém - não cristãos adrenais. Cristãos que continuam a bombear sangue de vida hora após hora, dia após dia, semana após semana, mês após mês, ano após ano, década após década em uma causa maior do que você ou sua família ou sua igreja. Cristãos maratonistas, não velocistas . Cristãos como William Wilberforce que deu toda a sua vida para acabar com o tráfico de escravos na Grã-Bretanha há 200 anos .

Um de seus adversários disse: "É necessário ver como ele é abençoado com uma quantidade suficiente de espírito entusiasta que, em vez de ceder, cresce mais vigorosamente a partir de golpes." Em outras palavras: derrube-o e ele se levantará mais forte. Não há muitas pessoas assim na América de hoje. A maioria das pessoas que é derrubada por causa da injustiça hoje em dia "sente pena de si mesma, pergunta onde Deus estava, e então processa alguém”. Um cristão coronariano aprende com a derrota, se levanta , estabelece uma nova meta e insiste na causa.

Cristãos Coronarianos declaram guerra contra seus pecados

Agora, nesta manhã, voltamos a Romanos 8 para retomar de onde paramos em 16 de dezembro. Mas eu ainda estou trabalhando a ideia “Plantando uma Paixão”, e eu ainda estou trabalhando para construir uma igreja “Perseguidora da Justiça”, e eu ainda estou pedindo a Deus para criar cristãos coronarianos , porque é isso que os versos 12 a 13 me ajudam a fazer. Se você pretende ser o tipo de pessoa que se levanta quando é derrubado e, em vez de planejar a vingança, planeja novas estratégias de amor, e ao invés de questionar a Deus, se submete à sua sábia e bondosa soberania, e em vez de lamentar-se, alegra-se na tribulação e é refinado como o aço, então você terá que aprender a mortificar os pecados de autopiedade e orgulho e amargura e amor ao “louvor dos homens”. Em outras palavras, os cristãos coronarianos e que alegremente se envolvem em alguma grande Causa de amor e de justiça, não vêm do nada. Eles saem da fornalha ardente da guerra contra o pecado - lutam principalmente em suas próprias almas.

Vejamos os versículos 12-13: "Portanto, irmãos, somos devedores, não à carne para vivermos segundo a carne; porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis." Se você deseja ser um cristão coronariano , que busca a justiça, cristão plantador de paixão – ou, neste caso, um tipo de cristão que herda a vida e não a morte – Paulo diz que você não deve ser um “pagador de dívidas” à carne – àquela antiga rebelde e insubordinada natureza autossuficiente que todos nós temos (Romanos 8:7). "Irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne" – a única coisa que devemos à carne é inimizade e guerra. Não perca tempo com o seu destruidor. Não seja um “pagador de dívidas” ao seu destruidor. Saia da dívida para com a carne, não pague para a sua própria destruição.

Como? Perguntamos. Isso é o que o versículo 13 descreve. Se você pretende ser um cristão coronariano , perseguidor da justiça, plantador de paixão, um cristão livre-de-débito-com-a-carne-mortal, você deve ser hábil em matar seus próprios pecados. A linguagem aqui é perigosa, então tome cuidado. Não pense nos pecados de outras pessoas. Não pense sobre como as pessoas erram com você. Pense em seus próprios pecados. Isso é o que Paulo está falando. Versículo 13b: "Mas, se pelo Espírito que você está colocando à morte as obras de [seu!] Corpo, você vai viver."

John Owen sobre a mortificação do pecado

O grande mestre da igreja sobre esta doutrina é John Owen. Provavelmente ninguém a sondou mais profundamente. Ele escreveu um pequeno livro de 86 páginas chamado “Mortificação do pecado: o que todo cristão precisa saber”. Todo o livro é uma exposição deste versículo, Romanos 8:13. Ele disse assim: "Se você não estiver continuamente matando o pecado, ele estará continuamente matando você."

Minha mãe escreveu na minha Bíblia, quando eu tinha 15 anos - Eu ainda tenho essa Bíblia - "Este livro irá mantê-lo longe do pecado, ou o pecado irá mantê-lo longe deste livro." Veremos que estes dois lemas estão intimamente ligados, porque Romanos 8:13 diz que devemos mortificar o pecado pelo Espírito - "Se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis."- E qual é o instrumento de morte utilizado pelo Espírito? A resposta é dada em Efésios 6:17 - "A espada do Espírito, a Palavra de Deus." Este livro irá mantê-lo longe do pecado - este livro irá matar o pecado. Voltaremos a este tema daqui a duas semanas.

Mas, por agora eu só quero que você veja como tudo nestas últimas semanas está conectado. Pensávamos que estávamos nos desviando de Romanos desde 16 de dezembro, mas acontece que nós estávamos simplesmente aplicando o que acontece quando os cristãos condenam as obras do corpo à morte. Eles se tornam coronarianos , maratonistas, centrados em Deus, que exaltam a Cristo, que buscam a justiça, cristãos que plantam uma Paixão.

Então, agora, o que seria útil saber a fim de experimentar o que Romanos 8:13 está pedindo? Bem, eu vejo quatro perguntas que seriam úteis responder para que possamos saber como devemos ser para cumprir esse dever fundamental de matar o pecado.

  1. O que são “as obras do corpo", quando Paulo diz: "Se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis?" Certamente nem todas as obras do corpo devem ser mortas. O corpo deve ser, supostamente, um instrumento de justiça. Então quais são as obras do corpo que precisam ser mortas?

  2. O que significa matá-las? Será que elas têm vida e que devemos tirá-la? O que está envolvido na morte delas?

  3. O que "pelo Espírito” isso significa? O Espírito é o próprio Deus. Ele não é um instrumento sem vida em nossas mãos para empunharmos como nós desejamos. O próprio pensamento de ter o Espírito em minha mão é um desrespeito que me dá arrepios. Sou eu quem está nas mãos dele, não sou? Não é Ele que está em minhas mãos. Ele é o poder, não eu. Como devo entender o mortificar o pecado "pelo Espírito"?

  4. Será que esta ameaça de morte significa que eu posso perder minha salvação? Verso 13: "Porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer." Isso é falado para toda a igreja em Roma. E a morte aqui é a morte eterna e julgamento. Sabemos que, porque todos pecaram - se você vive segundo a carne ou não – passarão pela morte física. Então a morte sobre a qual este versículo adverte é algo mais, algo que só acontece para alguns e não para os outros. Assim a pergunta permanece: Será que podemos morrer eternamente, se fomos justificado pela fé? Se nós temos de fato uma segurança, por que Paulo nos ameaça a todos com a morte se vivermos segundo a carne e nos fala deste negócio de “mortificar o pecado”?

Então vamos começar aqui com esta última pergunta e depois voltaremos às outras nas próximas semanas. Do que devemos nos livrar esta manhã é uma sensação geral de como a justificação se relaciona com a mortificação do pecado, e como é crucial fazermos isto.

Será que a ameaça de morte implica que podemos perder a nossa salvação?

Você sabe a minha resposta: Não, alguém que é justificado pela fé, sem as obras da lei, não pode morrer no sentido da morte eterna. Uma das minhas principais razões para acreditar nisso é encontrada neste capítulo, no versículo 30. Neste versículo Paulo argumenta que a salvação do começo ao fim é uma obra de Deus com cada parte ligada a outra em uma cadeia inquebrável. Romanos 8:30: "E aqueles que predestinou, também chamou, e aqueles que chamou, também justificou, e aos que justificou também glorificou." Aqui a ligação entre a justificação e a glorificação é certa. Se você tem sido justificado pela fé, você será glorificado. Ou seja, você será levado para a vida eterna e glória. A corrente não será quebrada: Predestinação, chamando, justificação e glorificação.

Mortificação é o resultado e a Evidência de Justificação

Portanto, a questão é, então, por que Paulo diz à igreja em Roma - e para nós (Bethlehem) - (versículo 13) "Porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis? " A razão é esta: Mortificar as obras do corpo pelo Espírito - a prática diária de matar o pecado em sua vida - é o resultado de ser justificado e a evidência de que você é justificado pela fé, sem as obras da lei. Se você está em guerra contra seu pecado, e andando pelo Espírito, então você sabe que foi unido a Cristo pela fé. E se você foi unido a Cristo, então o Seu sangue e justiça fornecem a base inabalável de sua justificação.

Por outro lado, se você está vivendo segundo a carne - se você não está em guerra contra a carne, e não realizando a prática de matar o pecado em sua vida, então não há nenhuma razão convincente para pensar que você está unido a Cristo pela fé ou que você é, portanto, justificado. Em outras palavras, mortificar as obras do corpo não é a maneira que nós somos justificados, é uma das maneiras de Deus nos mostrar que somos justificados. E assim Paulo nos ordena a fazê-lo – seguir mortificando o pecado - porque se nós não guerearmos contra a carne e condenarmos à morte as obras do corpo pelo Espírito - se o crescimento na graça e santidade não significar nada para nós - então vamos mostrar que provavelmente nossa profissão de fé é falsa, e que a nossa membresia na igreja é uma farsa e nosso batismo é uma fraude, e nós provavelmente não somos cristãos de fato.

Mortificação do pecado é o efeito e não a causa de nossa Justificação

Este é um bom lugar para revisão e para restabelecer a grande base para o nosso apelo ao coronariano , aos cristãos perseguidores da justiça. Será que estamos chamando você para viver dessa maneira para que seja justificado ou estamos chamando você para viver desta forma porque este é o caminho que os pecadores justificados trilham? É a busca da justiça e do amor "pelo Espírito" com perseverança ao longo da vida a causa ou o efeito de se estarmos “em dia” com Deus?

Vamos deixar Wilberforce responder. Aqui estava um homem que tinha uma paixão pela santidade e justiça talvez maior do que qualquer um nos seus dias. Quando escreveu seu livro, “Uma Visão Prática do Cristianismo”, para anunciar esta paixão pela justiça e pelo engajamento político na causa da justiça, eis o que ele disse:

O cristianismo é um esquema "para justificar o ímpio" [Romanos 4:5], por Cristo ter morrido por eles", quando ainda eram pecadores" [Romanos 5:6-8], um esquema "para reconciliar-nos a Deus" - quando ainda éramos seus inimigos [Romanos 5:10] e para fazer os frutos de santidade serem os efeitos, não a causa, da nossa justificação e reconciliação.

Nós passamos quase quatro anos estabelecendo as bases para a compreensão de Romanos 8. Os cinco primeiros capítulos de Romanos demonstram que a única maneira de nós pecadores sermos declarados justos aos olhos de Deus é por Sua justiça ter sido dada a nós - creditada a nós, imputada a nós - pela graça, mediante a fé, sobre a base da vida perfeita de Cristo e de Sua morte, e não com base em nossas próprias obras. Deus é justo e justifica o ímpio que tem fé em Jesus (Romanos 3:26).

Posto esse fundamento deslumbrante e indizivelmente maravilhoso , Paulo teve que perguntar no capítulo 6, por duas vezes: verso 1: "Que diremos, então, devemos continuar no pecado, para que a graça aumente?" Versículo 15: "E então? Vamos pecar porque não estamos debaixo da Lei, mas debaixo da graça?”. E os capítulos 6 e 7 são escritos para mostrar que a justificação pela fé somente não pode e não deve levar uma pessoa a fazer as pazes com o pecado.

Paulo responde sua própria pergunta em Romanos 6:2: "Como podemos nós, que morremos para o pecado ainda viver nele?" Não podemos. Se nós morremos para o pecado e fomos unidos a Jesus em sua morte, não podemos ficar casados com o pecado. A fé que nos une a Cristo nos desata de seus concorrentes. A fé que faz as pazes com Deus faz guerra contra o pecado. Se você não está em desacordo com o pecado, você não está “em casa” com Jesus, não porque estar em desacordo com o pecado o faz merecer estar “em casa” com Jesus, mas porque estar “em casa” com Jesus o faz estar em desacordo com o pecado.

Portanto, eu o chamo e o exorto, a estar centrado em Deus, exaltando a Cristo, ganhando almas, buscando a justiça, espalhando a paixão (pela glória de Deus), pois cristãos que serão galardoados não vivem segundo a carne, mas "pelo Espírito mortificam as obras do corpo". Esteja constantemente matando o pecado ou o pecado vai estar constantemente matando você.

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org