Judas Iscariotes, o Suicídio de Satanás, e a Salvação do Mundo

Aproximava-se a festa dos pães ázimos, que se chama a páscoa. 2- E os principais sacerdotes e os escribas andavam procurando um modo de o matar; pois temiam o povo. 3- Entrou então Satanás em Judas, que tinha por sobrenome Iscariotes, que era um dos doze; 4- e foi ele tratar com os principais sacerdotes e com os capitães de como lho entregaria. 5- Eles se alegraram com isso, e convieram em lhe dar dinheiro. 6- E ele concordou, e buscava ocasião para lho entregar sem alvoroço.

Essa é a mensagem final da série chamada Pecados Espetaculares e a Seus Propósitos Globais para a Glória de Cristo. A Meta tem sido mostrar que repetidamente na história do mundo, os pecados que marcam época, que mudaram o curso da história, nunca anularam, mas cumpriram os propósitos globais de Deus para glorificar Seu Filho e salvar Seu povo.

Minha oração é que, quando essas visões históricas da soberania de Deus sobre o pecado se alojam na sua mente renovada, elas tenham um efeito profundo e prático; fazendo-te forte ao encarar profundas tristezas e te façam corajoso para Cristo quando encarar oposição perigosa. Força que exulta a Cristo na calamidade e coragem que exulta a Cristo no conflito. Eu oro para o Senhor tecer cordas de ferro e seda no tecido da sua alma.

O Pecado Mais Espetacular da História: O Assassinato de Jesus

O pecado mais espetacular que já foi cometido na história do mundo é o brutal assassinato de Jesus Cristo, o moralmente perfeito, infinitamente digno, divino Filho de Deus. E provavelmente o ato mais desprezível no processo desse assassinato foi a traição de Jesus por um de Seus amigos mais próximos, Judas Iscariotes.

Judas era um dos doze apóstolos que Jesus tinha escolhido pessoalmente e que havia estado com Jesus durante todo o Seu ministério público. A ele foi confiada a bolsa com dinheiro para o grupo inteiro (João 13:29). Ele estava perto o suficiente de Jesus na última ceia para meter a mão no mesmo prato (Marcos 14:20).

“Satanás Entrou em Judas”

Na noite da última ceia, Lucas nos diz em seu livro 22:3-6 que “Entrou então Satanás em Judas, … e foi ele tratar com os principais sacerdotes e com os capitães de como lho [Jesus] entregaria. Eles se alegraram com isso, e convieram em lhe dar dinheiro. E ele concordou, e buscava ocasião para lho entregar sem alvoroço.” Mais tarde ele guiou as autoridades até o jardim do Getsêmani e traiu a Jesus com um beijo (Lucas 22:47-48). Com isso, a morte de Jesus foi selada.

Quando Lucas nos conta no verso 3 que “Satanás entrou em Judas,” várias questões nos vêm à mente. 1) Uma é se Satanás simplesmente controlou um bom Judas ou se Judas já estava caminhando com Satanás e Satanás simplesmente decidiu que aquela era a hora. 2 ) Outra pergunta é porque Satanás faria isso já que a morte e ressurreição de Jesus resultariam na derrota final de Satanás, e há boas razões para acreditar que Satanás sabia disso. 3) E a terceira e mais importante pergunta é: Onde estava Deus quando isso aconteceu? Qual papel ou não-papel Ele teve no pecado mais espetacular que já existiu?

1) O Poder de Satanás Sobre as Paixões Pecadoras de Judas.

Quando a Bíblia diz em Lucas 22:3 que “Satanás entrou em Judas”, como devemos ver o querer de Judas e o poder de Satanás? Judas não era um observador inocente quando Satanás entrou nele. O apóstolo João nos diz em João 12:6 que ele era um ladrão. Quando Judas reclamou que Maria desperdiçou dinheiro ungindo a Jesus, João comenta, “disse isto, não porque tivesse cuidado dos pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, subtraía o que nela se lançava.”

Se isso parece incrível, pense no comportamento escandaloso de assim chamados líderes Cristãos hoje que usam ofertas ministeriais para comprar o equivalente à US$39.000 em roupas numa mesma loja num ano, e mandam seus filhos numa viajem de US$29.000 às Bahamas, e dirigem um Lexus branco e um Mercedes vermelho. Como Judas sentou-se ao lado de Jesus com a sua face piedosa, religiosa e saiu e expulsou demônios em nome de Jesus, ele não amava Jesus com justiça. Ele amava dinheiro. Ele amava o poder e os prazeres que o dinheiro podia comprar.

Paulo nos diz como isso contribuiu com os poderes de Satanás. Ouça a Efésios 2:1-3 “Ele vos vivificou, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar [perceba a conexão: mortos em pecados, seguindo a Satanás], do espírito que agora opera nos filhos de desobediência, entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais.” Mortos nos seus pecados, caminhando nas paixões da carne, cumprindo os desejos do corpo e alma, e por isso seguindo o príncipe das potestades do ar.

Satanás não aprisiona inocentes. Não existem pessoas inocentes. Satanás tem poder onde paixões pecadoras dominam. Judas era amante do dinheiro, ele estava coberto com um falso, externo relacionamento com Jesus. E assim ele vendeu a Jesus por trinta peças de prata. Quantos da tribo dele ainda existem hoje! Não seja um deles. E não seja enganado por um deles.

2) O Papel de Satanás na Sua Própria Destruição

A segunda questão é porque Satanás levou Judas a trair Jesus. Será que ele não sabe que a morte e a ressurreição de Jesus resultarão na derrota final de Satanás (Colossenses 2:13-15; Apocalipse 12:11)? Há boas razões para pensar que Satanás sabia disso.

Quando Jesus começou Seu ministério no caminho para a cruz, Satanás tentou fazê-lo sair do caminho de sofrimento e sacrifício. No deserto, ele tentou Jesus a tornar pedras em pão e a pular do topo do templo e obter domínio sobre o mundo ao prostrar-se diante de Satanás (Mateus 4:1-11). O objetivo dessas tentações é: Não faça o caminho do sofrimento e sacrifício e morte. Use seu poder para escapar do sofrimento. Se você é o Filho de Deus, mostre o seu direito de reinar. E eu posso te ajudar a fazer isso. O que quer que você faça não vá até a cruz.

Aí você se lembra de quando Jesus previu que ele sofreria nas mãos dos sacerdotes e dos doutores da lei, e previu que seria assassinado e Pedro o repreendeu e disse ”Senhor isso de modo algum te acontecerá” (Mateus 16-22). Em outras palavras, eu nunca vou deixar que o Senhor morra desse jeito. Jesus não o felicitou. Ele disse “Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não estás pensando nas coisas que são de Deus, mas sim nas que são dos homens” (Mateus 16-23). Como obstáculo no caminho de Jesus até a cruz estava Satanás. Satanás não queria que Jesus fosse crucificado. A crucificação seria sua ruína.

Mas aqui está ele em Lucas 22:3 entrando em Judas e o levando a trair ao Senhor e a trazê-lo à cruz. Porque a mudança de rumo? Porque tentar distraí-lo da cruz e depois tomar a iniciativa de trazê-lo até a cruz? Isso não nos é dito. Aqui está um esforço em responder: Satanás viu seus esforços para distrair Jesus da cruz falharem. Repetidamente Jesus manteve seu caminho. Seu plano para morrer era irrevogável, e Satanás conclui que não é possível pará-lo. Consequentemente ele decide que, se não for possível pará-lo, ele vai pelo menos fazer a crucificação o mais feia e dolorosa possível. Não somente morte, mas morte por traição. Morte por abandono. Morte por negação (veja Lucas 22:31-32). Se Satanás não podia pará-lo, ele iria trazer outros pra dentro do processo e fazer o maior dano possível. Foi uma sequência espetacular de pecados que trouxe Jesus até a cruz.

3) O Papel de Deus no Assassinato do Seu Filho

Isso nos traz agora para a terceira e última pergunta – a mais importante de todas: Onde estava Deus quando isso aconteceu? Ou mais precisamente: Qual foi o papel de Deus no pecado mais espetacular que já aconteceu- o assassinato de Jesus Cristo?

Para responder a uma pergunta assim nós devemos colocar as nossas mãos nas nossas bocas e silenciar nossas especulações filosóficas. Nossas opiniões não contam aqui. Só o que conta é o que o próprio Deus nos mostrou na Sua palavra. E a primeira coisa que Ele nos mostra é que os detalhes sobre a morte de Jesus foram profetizados na palavra de Deus centenas de anos antes de acontecerem.

As Escrituras profetizam que homens maus vão rejeitar a Jesus quando ele vier.

Mateus 21:42 “Disse-lhes Jesus (citando Salmo 118:22): Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta como pedra angular; pelo Senhor foi feito isso, e é maravilhoso aos nossos olhos?”

As Escrituras profetizam que Jesus será odiado.

Em João 15:25, Jesus menciona Salmo 35:19 e diz “Mas isto é para que se cumpra a palavra que está escrita na sua lei: Odiaram-me sem causa.”

As Escrituras profetizam que os discípoulos abandonariam a Jesus.

Em Mateus 26:31 E1e, ele menciona Zacarias 13:7: “Então Jesus lhes disse: Todos vós esta noite vos escandalizareis de mim; pois está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho se dispersarão.”

As Escrituras profetizam que Jesus seria perfurado, mas nenhum de seus ossos seriam quebrados.

João menciona Salmo 34:20 e Zacarias 12:10 e diz, “Um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, … isto aconteceu para que se cumprisse a escritura: Nenhum dos seus ossos será quebrado. Também há outra escritura que diz: Olharão para aquele que traspassaram.” (João 19:34-37).

As Escrituras profetizam que Jesus seria traído por um amigo próximo por trinta peças de prata.

Em João 13:18, Jesus cita Salmo 41:9 e diz “Não falo de todos vós; eu conheço aqueles que escolhi; mas para que se cumprisse a escritura: O que comia do meu pão, levantou contra mim o seu calcanhar.”

E em Mateus 26:24, Jesus diz, “Em verdade o Filho do homem vai, conforme está escrito a seu respeito; mas ai daquele por quem o Filho do homem é traído! Bom seria para esse homem se não houvera nascido.”

Em Mateus 27:9-10 a Bíblia diz, “Cumpriu-se, então, o que foi dito pelo profeta Jeremias: Tomaram as trinta moedas de prata, preço do que foi avaliado, a quem certos filhos de Israel avaliaram, e deram-nas pelo campo do oleiro, assim como me ordenou o Senhor. (Jeremias 19:1-13; Zacarias 11:12-13).

E não somente as Escrituras, mas o próprio Jesus profetizou, em detalhes, como ele seria morto.\

Em Marcos 10:33-34, Ele diz, “ Eis que subimos a Jerusalém, e o Filho do homem será entregue aos principais sacerdotes e aos escribas; e eles o condenarão à morte, e o entregarão aos gentios”.

E naquela última noite, Jesus olhou para Pedro e disse “Disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que esta noite, antes que o galo cante três vezes me negarás.” (Mateus 26:34).

Segundo a Sua Soberana Vontade

Por causa dessas profecias nós aprendemos que Deus previu, e não previniu, e, portanto incluiu no Seu plano que Seu Filho fosse rejeitado, odiado, abandonado, traído, negado, condenado, cuspido, chicoteado, zombado, furado e morto. Tudo isso está explicitamente na mente de Deus antes de acontecer como coisas que Ele planejava para Seu Filho. Essas coisas não somente aconteceram. Elas foram previstas na Palavra de Deus. Deus sabia que elas iriam acontecer e poderia ter planejado parar tudo, mas Ele não o fez. Então tudo aconteceu de acordo com a Sua soberana vontade.

E tudo isso era maldade. Era pecado. É pecado rejeitar, odiar, abandonar, trair, negar, condenar, cuspir, chicotear, zombar, furar e matar o moralmente perfeito, infinitamente digno, divino Filho de Deus. E mesmo assim a Bíblia é explícita e clara dizendo que o próprio Deus planejou essas coisas. A Bíblia é explicita não somente em todos os textos proféticos que nós já vimos, mas também em passagens que dizem ainda mais claramente que Deus fez tudo isso acontecer.

Deus Fez Isso Acontecer

Por exemplo, em Isaías 53:6 e 10, a Bíblia diz, “Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós.”. Logo, por traz do cuspir e chicotear e zombar e furar estava a invisível mão e plano de Deus.

E eu digo isso cuidadosamente e com tremor. Essa verdade é grande demais e pesada demais e chocante demais para eu ser loquaz ou arrogante a respeito disso. Eu escolhi dizer que a invisível mão e plano de Deus estão por traz desses que são os pecados mais espetaculares no universo – mais graves e mais espetaculares do que a queda de Satanás ou qualquer outro pecado. A razão pela qual eu uso essas palavras é que a Bíblia diz essas mesmas palavras.

A Mão e Plano de Deus

Em Atos 4:27-28, nós temos a mais clara, mas explícita declaração sobre a mão de Deus e Seu plano por traz da horrível crucificação de Seu Filho. “Porque verdadeiramente se ajuntaram, nesta cidade, contra o teu santo Servo Jesus, ao qual ungiste, não só Herodes, mas também Pôncio Pilatos com os gentios e os povos de Israel; para fazerem tudo o que a tua mão e o teu conselho predeterminaram que se fizesse. ”Essas são as duas palavras que eu estou usando: a mão de Deus e o plano de Deus.

É um jeito estranho de falar – dizer que a mão de Deus e Seu plano predestinaram algo. Não é comum pensar na “mão” de Deus predestinando. Como pode uma mão predestinar? Aqui está o significado que eu vejo: A mão de Deus normalmente significa o poder de Deus sendo exercido – não um poder abstrato, mas terreno, uma demonstração efetiva de poder. O objetivo de combinar isso com “plano” é dizer que não se trata somente de um plano teórico; isso é um plano a ser executado pela própria mão de Deus.

Isso explica Isaías 53:10 “Todavia, foi da vontade do Senhor esmagá-lo, fazendo-o enfermar; quando ele se puser como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias, e a vontade do Senhor prosperará nas suas mãos.”. Ou mais literalmente segundo a tradução King James “Agradou ao Senhor esmagá-lo”. O Senhor o feriu. Por traz de Herodes e Pilatos e dos Gentios e do povo de Israel estava o próprio Pai de Jesus que o amava com um amor infinito.

O Evangelho: Deus Trabalhando na Morte

Porque isso é importante para você? É importante porque se Deus não foi o ator principal na morte de Cristo, então a morte de Cristo não poderia nos salvar de nossos pecados e nós pereceríamos no inferno para sempre. A razão pela qual a morte de Cristo é o coração do evangelho – o coração das boas novas – é que Deus estava fazendo isso. Romanos 5:8 “Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós”. Se você separa a atividade de Deus da morte de Jesus, você perde o evangelho. Deus estava fazendo isso. Isso é o ponto mais alto e mais profundo do amor Dele para com os pecadores. O Seu amor por você.

Romanos 8:3 “Porquanto o que era impossível à lei, visto que se achava fraca pela carne, Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança da carne do pecado, e por causa do pecado, na carne condenou o pecado.” Deus condenou o pecado na carne de Jesus com a nossa condenação. Então somos livres.

Gálatas 3:13: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”. Deus amaldiçoou a Jesus com a maldição que nos pertencia. Então somos livres.

2ª Coríntios 5:21 “Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” Deus imputou nosso pecado sobre Ele, e agora nos somos livres pela justiça de Deus.

Isaías 53:5 “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniqüidades;” Deus o feriu. Deus o esmagou, por você e por mim.

A Cruz de Cristo: A Obra e o Amor de Deus

A razão pela qual essa série de mensagens tem importância é a seguinte. Se você abraça a verdade bíblica (e eu oro que você o faça) que Deus ordena pecados espetaculares para a glória global do Seu Filho, sem que de modo algum Ele se torne impuro ou injusto ou o pecaminoso no processo, então você não vai se acanhar em relação à cruz de Cristo sendo obra de Deus. Você não vai ser um dos que chamam o ato mais amoroso da história “divino abuso infantil”. Você virá até a cruz e se prostrará. E você vai dizer: Isso não foi só uma conspiração humana. Isso foi uma obra de Deus e do Seu amor. E você será salvo. E Cristo será glorificado. E minha pregação não terá sido em vão.

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org