Ninguém Seja Infiel para com a Mulher da Sua Mocidade

Malaquias 2:10-16

Não temos todos o mesmo Pai? Não fomos todos criados pelo mesmo Deus? Por que será então que quebramos a aliança dos nossos antepassados sendo infiéis uns com os outros? Judá tem sido infiel. Uma coisa repugnante foi cometida em Israel e em Jerusalém; Judá desonrou o santuário que o Senhor ama; homens casaram-se com mulheres que adoram deuses estrangeiros. Que o Senhor lance fora das tendas de Jacó o homem que faz isso, seja ele quem for, mesmo que esteja trazendo ofertas ao Senhor dos Exércitos. Há outra coisa que vocês fazem: Enchem de lágrimas o altar do Senhor; choram e gemem porque ele já não dá atenção às suas ofertas nem as aceita com prazer. E vocês ainda perguntam: "Por quê? " É porque o Senhor é testemunha entre você e a mulher da sua mocidade, pois você não cumpriu a sua promessa de fidelidade, embora ela fosse a sua companheira, a mulher do seu acordo matrimonial. Não foi o Senhor que os fez um só? Em corpo e em espírito eles lhe pertencem. E por que um só? Porque ele desejava uma descendência consagrada. Portanto, tenham cuidado: Ninguém seja infiel à mulher da sua mocidade. "Eu odeio o divórcio", diz o Senhor, o Deus de Israel, e "o homem que se cobre de violência como se cobre de roupas", diz o Senhor dos Exércitos. Por isso tenham bom senso; não sejam infiéis. (NVI)

Na semana passada nós vimos no verso 8 deste capítulo que o resultado de falhas sacerdotais é que muitos são levados a tropeçar. "Vós [sacerdotes, pastores] vos desviastes do caminho; a muitos fizestes tropeçar na lei." Em outras palavras, quando a verdade e o poder de Deus começam a desaparecer na comunidade cristã, duas outras coisas começam também a desaparecer, a saber:

  1. a clareza de visão para evitar armadilhas morais, e
  2. a força para permanecer em pé quando o mundo todo tenta nos derrubar.

Quando existe escassez da Palavra de Deus na terra, os nutrientes espirituais que fazem com que os olhos enxerguem o pecado como pecado se esgotam. E a proteína espiritual, que dá força ao músculo moral da alma para fazer o que é certo não se encontra presente. Os olhos espirituais se tornam doentes, devido à subnutrição, e as linhas claras entre o pecado e a retidão começam a ser ofuscadas. O músculo moral da vontade se atrofia e se torna fraco, e o resultado é que o convite do mundo vence porque não há força suficiente para resistir a ele. Quando o ministro da Palavra age mal, muitos são levados a tropeçar.

Três Áreas nas Quais Israel Estava Tropeçando

O texto de hoje detalha para nós três áreas onde o povo de Israel estava tropeçando.

  1. No verso 10 está a área geral dos relacionamentos pessoais: "Por que será então estamos sendo infiéis uns com os outros?" A deslealdade estava amplamente difundida. As pessoas não mantinham sua palavra. A confiança estava sendo quebrada. "Por que será então estamos sendo infiéis [ou traiçoeiros] uns com os outros?" Ou seja, por que não podemos confiar uns nos outros? Por que toda essa quebra de confiança?
  2. Nos versos 11 e 12, Malaquias fala especificamente e toca na questão do casamento com os que não compartilham da mesma fé. A última linha do verso 11 diz que Judá "se casou com a filha de deus estranho." Isso significa que muitos homens estavam se casando com mulheres que não criam no verdadeiro Deus. Este foi um tropeço muito sério aos olhos de Deus.
  3. Do verso 13 ao 16, Malaquias lida com a questão do divórcio. O verso 16 deixa a questão ainda mais clara: "Porque o Senhor, o Deus de Israel diz que odeia o repúdio [divórcio]."

O Que Vamos e o Que Não Vamos Ver Hoje

Agora, nós só temos 25 minutos para lidar com essas três áreas. Então como vamos controlar o nosso tempo? O que eu escolhi fazer é simplesmente explicar com a maior clareza possível a vontade de Deus, a qual ele tornou explícita nestas três passagens, e as razões pelas quais devemos obedecê-la. Então, minha intenção é fortalecer sua capacidade espiritual de resistir a três tentações: a tentação de quebrar a confiança em seus relacionamentos, a tentação de se casar com uma pessoa não crente, e a tentação de se divorciar de seu cônjuge. Uma ou mais dessas três se aplicam a todas as pessoas nesta sala, desde os menores até os mais velhos entre nós.

Agora, isto deixa sem resposta centenas de questões. E se alguém quebrar a sua confiança? E se seu filho se casar com uma pessoa não crente? E se seu cônjuge te abandonar e te pressionar para assinar o divórcio? A Bíblia tem algo a dizer para te direcionar em todas essas áreas. E eu oro para que Deus nos guie em nosso estudo nos próximos meses e anos. Eu espero que a grande extensão das verdades bíblicas e a grande extensão das necessidades humanas sejam tocadas de maneira que somente Deus possa fazer esta obra, para o nosso bem.

Realizando uma Cirurgia na Coluna

Como pequena parte desta meta de uma vida inteira, eu quero tentar fazer uma cirurgia na coluna nessa manhã. Alguns de vocês se lembram de minha colega de ginásio Nancy, que veio a Minneapolis há algum tempo para passar por uma cirurgia na coluna, devido a uma séria escoliose - isto é uma curvatura distorcida da espinha. Eles a operaram e colocaram hastes de aço nas suas costas. A intenção era endireitar sua postura, e aliviar a dor, e fortalecer suas costas.

Bem, é isso que eu quero fazer. Eu creio que a palavra de Deus neste texto — especialmente as razões que Deus dá para seus mandamentos — é como aço. Se uma pessoa quer recebê-lo, e se a cirurgia é realizada corretamente, sua vida pode ser mais correta, você pode evitar muito sofrimento, e sua coluna vertebral moral pode ser grandemente fortalecida. Então vamos tentar juntos. Você se prepara para a cirurgia e eu vou tentar manusear estas hastes de aço da maneira mais delicada possível.

1. Malaquias 2:10 — Relacionamentos em Geral

Primeiro, no verso 10, Malaquias nos conta a vontade de Deus para nossos relacionamentos de maneira geral, e nos dá três razões pelas quais devemos ansiar por cumpri-la.

Não temos todos o mesmo Pai? Não fomos todos criados pelo mesmo Deus? Por que será então que quebramos a aliança dos nossos antepassados sendo infiéis uns com os outros?

A Vontade Clara de Deus para Nossas Vidas

A vontade de Deus para o seu povo é clara neste verso. Ele quer que nós não sejamos infiéis uns para com os outros. Esta palavra para "ser infiel" ou "quebrar a confiança" ou "agir traiçoeiramente" é usada em todas as três partes do nosso texto nesta manhã (2:10-16). No verso 10: "Por que será então estamos sendo infiéis uns com os outros?" — se referindo à inconfiabilidade de maneira geral em nossos relacionamentos. No verso 11: "Judá tem sido infiel... homens casaram-se com mulheres que adoram deuses estrangeiros" — em referência ao casamento com não crentes. E o verso 14: "a mulher da sua mocidade, pois você não cumpriu a sua promessa de fidelidade" — em referência ao divórcio.

Então o pecado que está presente em cada uma destas áreas da vida é esta falha em manter a confiança, a falha em manter o compromisso. É a quebra de um acordo, ou aliança, ou contrato, ou promessa.

Duas Maneiras Diferentes de Se Viver em uma Comunidade

Então, o que Malaquias faz com esta palavra chave é mostrar que a vida em comunidade deve ser organizada pelo cumprimento de promessas, contratos, juramentos, alianças e compromissos. Mas esta ordem deu lugar à desordem que aparece quando as pessoas cedem ao poder de impulsos emocionais egoístas.

Em outras palavras, por usar consistentemente esta pequena palavra bagad e usar infidelidade em todos os relacionamentos citados no texto, Malaquias deixa claro para nós duas maneiras alternativas para que as pessoas tentem viver em uma comunidade.

Uma maneira é o que você pode chamar de ordem da aliança — é o que o AT quer dizer por shalom. Todos os relacionamentos se tornam pacíficos e puros pelo cumprimento de alianças, promessas, juramentos, contratos e compromissos. Dos filhos para com os pais, e dos pais para com os filhos. Dos esposos para com as esposas, e das esposas para com os esposos. Dos patrões para com os empregados, e dos empregados para com os patrões. Dos cidadãos para com o estado, e do estado para com os cidadãos. A paz, a prosperidade e a alegria — a shalom — da comunidade se mantém pelo profundo e forte espírito de manutenção da aliança que permeia a comunidade. A própria essência da comunidade é a confiabilidade dos seus membros. Eles mantém seus compromissos?

A outra maneira das pessoas tentarem viver juntas em comunidade é o oposto da ordem da aliança; isto é o que você pode chamar de desordem do comodismo. Nesta comunidade, o espírito de novos compromissos e de manutenção dos compromissos existentes foi substituído pelo espírito dos impulsos emocionais e físicos. A essência da fidelidade às alianças, promessas e contratos é desenredada, e o que sobra são os contornos individuais da satisfação pessoal.

A Relevante Mensagem de Malaquias

Deixe-me dar a você uma citação de um estudo secular sociológico dos nossos dias, para te mostrar como os caminhos se dividem entre estas duas formas de vida em comunidade.

Uma mulher descobre que está grávida e quer abortar, ou um homem se sente sufocado por suas obrigações com o trabalho, esposa e filhos, e quer se ver livre dessas obrigações. Os pais idosos de uma pessoa estão interferindo em seus prazeres, e ela quer encontrar alguém que cuide deles. Um homem quer dormir com sua secretária, ou está cansado de ganhar a vida e deseja alívio de suas responsabilidades. Como nós, como sociedade e como indivíduos, vemos as decisões tomadas sobre o cumprimento desses desejos é o ponto crucial do problema. (Daniel Yankelovich, New Rules, 1981, p. 248)

A mensagem de Malaquias a nós nesta manhã dificilmente poderia ser mais relevante ou mais necessária. Cinco vezes neste texto ele nos alerta a não "agirmos de maneira infiel" — ou colocando isso de maneira positiva, ele nos insta a fazer com que a manutenção das alianças seja a essência da nossa vida juntos. Ele nos alerta contra a pseudo-liberdade da auto-indulgência individualista, e ele tenta nos ajudar a ver a força, e a beleza, a alegria, e a paz (shalom) de sermos fiéis em todos os nossos relacionamentos e em todos os nossos compromissos.

Três Razões para Não Sermos Infiéis Uns aos Outros

As três razões dadas no verso 10 são:

  1. Nós temos um Pai: "Não temos todos o mesmo Pai?" (v. 10). Em outras palavras, quando nós traímos a confiança de alguém, traímos a família de Deus. Nós enganamos nossa própria carne e desonramos nosso Pai.
  2. Nós temos um Criador. "Não fomos todos criados pelo mesmo Deus?" (v. 10). Se eu sou infiel a você, e quebro meu compromisso com você, eu ajo como se eu e você fôssemos criados por dois diferentes Criadores. Eu ajo como se meu Criador me permitisse caminhar em um conjunto de condições — como a auto-indulgência, que ignora o meu compromisso com você — enquanto eu espero o seu Criador direcionar você a outro conjunto de condições — como respeito aos meus direitos e direito à privacidade na minha conduta. Mas se nós dois somos completamente dependentes e criados por um único Criador, este padrão duplo não existirá.
  3. A terceira razão pela qual não devemos quebrar a confiança dos outros é que esta quebra profana a aliança de nossos pais. "Por que será então que quebramos a aliança dos nossos antepassados sendo infiéis uns com os outros?"

Qual foi esta aliança? Foi o compromisso de Deus em ser o Deus de Abraão, de trabalhar para ele e abençoá-lo, e dar a ele vida e esperança — e não somente a ele, mas a toda sua descendência, incluindo você e eu em Jesus Cristo, a semente de Abraão. Em outras palavras, sempre que você ou eu mentimos ou forjamos nossas ações em nossas obrigações, ou traímos a confiança, nós agimos como se Deus não fosse capaz de cuidar de nós e de nos proteger, e de nos dar uma vida completa se mantivermos nossos compromissos. E quando nós agimos como se Deus não pudesse ou não quisesse nos dar o que é melhor para nós no caminho da confiança, nós profanamos sua aliança. Nós agimos como se ela fosse desleal e sem valor.

Estes são os argumentos de Malaquias: nós temos um Pai; um Deus nos criou; e sua aliança conosco em Jesus Cristo é a garantia de sua ajuda e amizade. Portanto, que sejamos um povo de integridade radical e fidelidade em todas as nossas relações, custe o que custar!

2. Malaquias 2:11-12 — Casamento com Não-Crentes

Nos versos 11 e 12, Malaquias muda seu foco de relacionamentos em geral para o caso específico de casamento com não-crentes. Deus trata desse assunto como outro exemplo de infidelidade ou quebra de confiança. Ele chama isso de abominação. Por quê? Vamos ler o verso 11:

Judá tem sido infiel. Uma coisa repugnante foi cometida em Israel e em Jerusalém; Judá desonrou o santuário [literalmente: a santidade] que o Senhor ama; homens casaram-se com mulheres que adoram deuses estrangeiros.

A Questão Primária

A questão primária aqui é que as pessoas com quem os homens de Judá estavam se casando não amavam, confiavam e seguiam a Jeová, o verdadeiro Deus de Israel. Elas não eram filhas do verdadeiro Deus; elas eram filhas de um deus estranho.

Então o ponto principal deste verso é que quando nós afirmamos amar a Deus com todo o nosso coração e alma e mente e força, e intencionalmente escolhemos nos unir com não-crentes na mais íntima forma de união da terra, nós profanamos a santidade de Deus. Nós agimos como se nosso impulso emocional por intimidade humana fosse mais importante que a afirmação da preciosidade da santidade e da intimidade de Deus.

Deus chama esta escolha de abominação, e diz no verso 12 que aqueles que andarem neste caminho com seus olhos abertos estão pedindo a Deus que vire suas costas a eles. "Que o Senhor lance fora das tendas de Jacó o homem que faz isso, seja ele quem for, mesmo que esteja trazendo ofertas ao Senhor dos Exércitos."

O Que Está e o Que Não Está Sendo Dito

Não ouça mais do que o texto está dizendo aqui.

  1. O texto não diz que é impossível que um cônjuge se converta. Não é impossível. Nós temos visto isso acontecer e 1 Pedro 3 diz que nós devemos viver de maneira que isso aconteça.
  2. O texto não está dizendo que se você é casado com uma pessoa não-crente, você deve sair desse casamento. Quinhentos anos depois, alguns crentes em Corinto chegaram a esta conclusão e Paulo escreveu a eles para dizer justamente que não saíssem de seus matrimônios (1 Coríntios 7:12-13).

Sim, o que este texto está dizendo a nós claramente nesta manhã é isto: se a opção do casamento ainda está diante de você, estabeleça na sua mente agora mesmo nunca se casar com alguém que não ame ao Senhor Jesus com todo o seu coração. Você não é muito jovem para fazer isso. Desde que eu tinha 13 anos de idade esta foi uma das convicções estabelecidas no meu coração: eu me guardaria de qualquer afeição romântica por qualquer garota que não fosse uma verdadeira cristã. E pela graça de Deus eu não somente fui poupado de uma vida de tragédia, mas me foi dado um casamento e uma família tão em paz e tão completa como eu jamais conheci.

3. Malaquias 2:13-16 — Divórcio

Finalmente, Malaquias chega à terceira e última maneira de se agir infielmente, isto é, se divorciar de seu cônjuge. Verso 16: ""Eu odeio o divórcio", diz o Senhor, o Deus de Israel."

As versões diferem muito sobre o verso 15, o que nos faria despender muito tempo para estabelecer a melhor tradução. Então eu vou simplesmente expor três razões simples e claras dos versos 14 e 16, como razões do por que Deus odeia o divórcio e por que os Cristãos não deveriam nunca procurar anular suas uniões com seus cônjuges.

Casamento É uma Aliança

No verso 13 nós aprendemos que Deus se recusa a aceitar as ofertas do seu povo. No verso 14 eles perguntam: "Por quê?" E a resposta é dada:

É porque o Senhor é testemunha entre você e a mulher da sua mocidade, pois você não cumpriu a sua promessa [bagad!] de fidelidade, embora ela fosse a sua companheira, a mulher do seu acordo matrimonial.

A razão pela qual o divórcio acendeu a ira de Deus é que o casamento é uma aliança. A vida a dois é enraizada não nas areias da satisfação emocional, mas na rocha do compromisso de aliança. E duas coisas neste texto trazem clareza a que tipo de aliança é essa.

Ela É uma Aliança Diante de Deus

Uma está na primeira parte do verso 14: "O Senhor é testemunha [da aliança] entre você e a mulher da sua mocidade."

"Eu, John, te recebo, Noël, como minha esposa, e eu prometo e me comprometo diante de Deus e dessas testemunhas ser seu amado e fiel esposo enquanto nós vivermos."

"ALIANÇA DIANTE DE DEUS!" Esta é a essência do casamento. E quando Deus se coloca como testemunha das promessas de aliança de um casamento, isto se torna mais do que um simples acordo humano. Deus não é um expectador passivo numa cerimônia de casamento. Na verdade, ele diz: Eu assisti a este compromisso, eu o confirmo, e o registro no céu. E eu concedo a esta aliança, feita na minha presença e no meu propósito, a honra de ser a imagem de minha própria aliança com minha esposa, a igreja.

Deus Está em uma Aliança com Sua Esposa, Seu Povo

Nós sabemos disso por Efésios 5, mas existe uma referência a isto no verso 16, e esta é a minha observação final do texto. O verso 16 diz: "Eu odeio o divórcio", diz o Senhor, o Deus de Israel." Esta é a única vez que em todo o livro que Deus chama a si mesmo de o "Deus de Israel." Eu não acho que isso seja por acidente. A razão principal porque Deus odeia o divórcio é porque isto é fundamentalmente uma contradição de sua aliança com sua esposa, seu povo.

Ele é o Deus de Israel. A amizade pode ser quebrada. Pode haver exílio e separação. Pode haver raiva e lágrimas. Mas quando a história toda é contada, a soma do que importa é Isaías 54:4-8:

Porque o teu Criador é o teu marido; o Senhor dos Exércitos é o seu nome; o Santo de Israel é o teu Redentor; que é chamado o Deus de toda a terra. Porque o Senhor te chamou como a mulher desamparada e triste de espírito; como a mulher da mocidade, que fora desprezada, diz o teu Deus. Por um breve momento te deixei, mas com grandes misericórdias te recolherei; com um pouco de ira escondi a minha face de ti por um momento; mas com benignidade eterna me compadecerei de ti, diz o Senhor, o teu Redentor.

Deus nunca anulará seu matrimônio com a sua eleita. Cristo nunca deixará sua noiva, a igreja. Ele é o criador da aliança e o protetor da aliança. E este é o significado do casamento.

O Misericordioso Deus da Aliança

E onde quer que você esteja nesta manhã em seus relacionamentos — e nenhum de nós está exatamente onde deveria estar — lembre-se dessas palavras da aliança: "Senhor, Senhor, Deus compassivo e misericordioso, paciente, cheio de amor e de fidelidade, que mantém o seu amor a milhares e perdoa a maldade, a rebelião e o pecado." (Êxodo 34:6-7).

Eu o convido a abandonar todo pecado. Lance-se na misericórdia de Deus. E na segurança e na liberdade de sua inquebrável aliança:

  • não desista de seus compromissos,
  • não se case com uma pessoa não-crente,
  • e não se divorcie da mulher da sua aliança.

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org