Vivendo por Fé na Graça Futura

2 Tessalonicenses 1:3-12

Sempre devemos, irmãos, dar graças a Deus por vós, como é justo porque a vossa fé cresce muitíssimo e o amor de cada um de vós aumenta de uns para com os outros. 4 De maneira que nós mesmos nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus por causa da vossa paciência e fé, e em todas as vossas perseguições e aflições que suportais; 5 prova clara do justo juízo de Deus, para que sejais havidos por dignos do reino de Deus, pelo qual também padeceis; 6 se de fato é justo diante de Deus que dê em paga tribulação aos que vos atribulam, 7 e a vós, que sois atribulados, descanso conosco, quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu com os anjos do seu poder, 8 como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; 9 os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder, 10 quando vier para ser glorificado nos seus santos, e para se fazer admirável naquele dia em todos os que crêem (porquanto o nosso testemunho foi crido entre vós). 11 Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder; 12 para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado, e vós nele, segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.

Eu preguei sobre este texto no último Domingo de 1985. Eu mal sabia que eu estava descobrindo nos versos 11 e 12 os fundamentos do que se tornaria uma das mais práticas e mais importantes marcas da Teologia em 30 anos, a saber, viver pela fé na graça futura. Então, o que eu gostaria de fazer é resumir estes dois versos, e então explicar o que significa viver pela fé na graça futura e como a fé na graça futura se torna o canal do poder de Deus nas nossas vidas.

Vamos ler novamente os versos 11 e 12,

Por isso [isto é, para que vocês fiquem maravilhados com Cristo quando ele voltar] também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder; 12 para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado, e vós nele, segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.

Existem oito coisas absolutamente cruciais a ser vistas na oração de Paulo.

1. O Chamado de Deus

Primeiro, existe a vocação de Deus. Verso 11: "Para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação." Esta vocação (ou chamado) é o nosso glorioso destino no reino e na glória de Deus. É isso o que Paulo diz em 1 Tessalonicenses 2:12, "Para que vos conduzísseis dignamente para com Deus, que vos chama para o seu reino e glória." Seu chamado é estar no reino de Deus e compartilhar a glória de Deus, como veremos em alguns instantes.

2. Sermos Feitos Dignos

Segundo, existe o sermos feitos dignos da vocação de Deus. Verso 11: "...para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação." Ser feito digno não significa ser feito merecedor. Significa ser feito adequado, ou apropriado, ou próprio, porque uma outra pessoa é digna. Bom, nós diríamos, eu preciso arrumar esta sala porque a Rainha da Inglaterra vai estar conosco e a sala precisa estar à altura da sua dignidade. Ela precisa estar adequada, apropriada e à altura. Ela não decidiu vir porque a sala é linda. A sala deve ser transformada em uma linda sala porque ela está vindo. Assim, nós estamos sendo feitos adequados para o nosso chamado no reino e na glória de Deus.

3. Cumprimento dos Bons Propósitos

Terceiro, existe o cumprimento dos bons propósitos. Verso 11: "Para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade." A vida cristã é uma vida de vontade, planejamento, propósito, intenção. Nós temos mentes e vontades, e Deus espera que as usemos para formar resoluções e planos e propósitos, de acordo com a sua vontade. Estas resoluções devem ser cumpridas. Mas como?

4. Cumprimento pelo Poder de Deus

Esta é a quarta coisa: pelo poder de Deus. Verso 11: "Para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder." Se nossos propósitos fossem cumpridos pelo nosso poder nós receberíamos a glória. Mas será óbvio em alguns instantes que Deus pretende receber a glória pelo cumprimento dos nossos bons propósitos. Assim, ele os cumpre pelo seu poder, não pelo nosso. Então nossa função é fluir pelo seu poder. Como?

5. Vivendo por Fé

Esta é a quinta coisa: por . Verso 11: "Para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder." Quando Deus cumpre um desejo da sua bondade, isto se torna uma obra da fé, porque o meio pelo qual nós recebemos o poder para cumprir o desejo e o transformar em obras é a fé. Assim a obra, ou o trabalho, ou a ação é chamada uma "obra de fé", ou um "ato de fé". Então, do lado de Deus, o propósito se torna uma obra pelo poder de Deus. E do nosso lado, o propósito se torna uma obra por fé. Fé naquele poder. Por fé, nós confiamos em Deus pelo poder para cumprir o propósito e, pelo poder, através da fé, o propósito se torna uma obra, ou ato, um ato de fé. Este pecado foi derrotado. A justiça foi feita. Porque nós desviamos nosso olhar de nós mesmos e olhamos para Deus e todos os seus poderosos feitos em nossas vidas.

6. Jesus É Glorificado

Portanto, a sexta coisa a vermos neste texto é que o nome de Jesus é glorificado quando o poder de Deus cumpre nossos propósitos e através da fé os transforma em obras. Verso 12: "...para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado." Isto é, Deus cumpre nossos propósitos pelo seu poder através da nossa fé, para que o nome de Jesus receba a glória. Isto supõe que o poder de Deus está vindo até nós por causa de Jesus. Este foi o foco do sermão da última semana. Porque Jesus morreu por nós, o poder de Deus está agora náo contra nós, mas por nós. Entáo, quando este poder nos habilita a transformar nossos propósitos em obras de amor, Jesus e o Pai recebem a glória.

7. Nós Somos Glorificados Nele

Sétimo, não somente é Jesus glorificado em nós, mas nós somos glorificados nele. Verso 12: "...Para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado, e vós nele." Em outras palavras, enquanto Jesus glorifica a si mesmo ao adquirir o poder de Deus para se tornar digno do nosso chamado, nós também estamos sendo glorificados. E o dia chegará quando este lento processo neste mundo será completado em um piscar de olhos, e nós "seremos salvos para não mais pecar." Este é o chamado para o qual estamos sendo feitos dignos, adequados.

8. É Tudo pela Graça

Finalmente, oitavo, todo este processo de estarmos sendo feitos dignos do nosso chamado, e de cumprir nossos bons propósitos, e realizar boas obras pela fé no poder de Deus, é "segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo." Verso 12: ". . . Para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado, e vós nele, segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo." Foi tudo pela graça. O poder de Deus que vem a nós momento após momento, transformando nossos propósitos em obras de fé é o poder da graça.

As Oito Partes em Resumo

Agora, deixe me juntar as oito partes em ordem, de maneira que elas realmente funcionem. Paulo finalizou com a base de todas as coisas — a graça de Deus e o Senhor Jesus Cristo. Vamos começar com a base e construir a estrutura da vida cristã com estas oito partes. Se você é um cristão, esta é a sua vida.

Tudo começa e é construído sobre a graça de Deus. Essa graça é expressada no poder de Deus em direção a seus filhos. Veja o final do verso 11: "com poder." Este gracioso poder, o qual Deus exerce em direção a seus filhos é apropriado, recebido, canalizado por fé. A maneira pela qual experimentamos o poder de Deus é confiando que ele será para nós tudo o que precisarmos, para que os bons propósitos se tornem obras de fé.

O efeito deste poder, quando confiamos nele, é cumprir nossos bons propósitos e as transformá-los em ações, obras, as quais ele chama "obras de fé." Portanto, a vida do cristão é vivida por fé. Cristianismo não é uma religião baseada na força de vontade. Nós desejamos coisas. Nós decidimos. Nós planejamos. Nós criamos propósitos. Mas enquanto empenhamos nossas vontades para agir, nós olhamos para Deus. E nós o valorizamos. Nós o amamos. Nós confiamos nele, sabendo que o poder nos será dado para cumprir o propósito.

Um Panorama da Vida Cristã

Deste modo, então, nós somos feitos dignos do nosso chamado. Uma vida de obediência dependente de Deus é uma vida adequada, apropriada ou digna do chamado no reino e na glória de Deus. E o fato de ser feito digno é o primeiro estágio de sermos totalmente glorificados em Cristo e Cristo ser totalmente glorificado através de nós.

Então, quando você pára e olha para estes dois versos, eles são um panorama maravilhoso da vida cristã e do sentido da existência. Tudo flui da livre graça de Deus em Cristo. E tudo é movido em direção à glória completa de Deus em nós e através de nós. E entre a base da graça e o objetivo da glória existe o poder da graça, vindo a nós dia após dia, através da fé que torna decisões diárias, e planos e propósitos em obras de fé, e nos adequando para a glória. Ó Bethlehem, viva estes versos!

Esta é a sua vida como cristão. Dia a dia, de hora em hora, drenando o fluir da graça de Deus para o despertar e o cumprimento dos nossos bons propósitos, para que, enquanto vocês são feitos cada vez mais dignos do seu chamado — adequados para o seu reino e glória — Jesus receba mais e mais glória pela sua vida.

O Que Isso Significa para o Dia a Dia

Agora, deixe-me voltar um pouco e destacar separadamente nestes dois versos — este maravilhoso quadro da vida cristã — o que eu quero dizer com esta marca teológica de 30 anos de viver pela fé na graça futura. Porque o que eu quero dizer está bem aqui, explícita ou implicitamente.

Graça, no Novo Testamento, como temos visto, não é somente a disposição de Deus em nos fazer o bem quando não merecemos — favor imerecido. É também o poder de Deus que age em nossas vidas e faz com que boas coisas aconteçam em nós e para nós. Paulo disse que nós cumprimos nossos bons propósitos "pelo seu poder" (verso 11). E então, ele complementa no final do verso 12, "conforme a graça do nosso Deus e o Senhor Jesus Cristo." O poder que efetivamente trabalha em nossas vidas para fazer com que a obediência que exalta a Cristo seja possível é uma extensão da graça de Deus.

Vocês também podem ver isso em 1 Coríntios 15:10: "Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo." Portanto, a graça é um poder ativo, presente, transformador e capacitador da obediência.

Assim, esta graça que move em poder de Deus para vocês, em um dado momento, é tanto passada quanto futura. Ela já realizou algo para vocês ou em vocês, e portanto, é passada. E ela irá realizar algo em vocês e para vocês, e então é futura — tanto daqui a cinco segundos quanto daqui a cinco milhões de anos.
A graça de Deus está sempre se derramando da cachoeira do presente, do inesgotável rio da graça, vindo a nós do futuro para o reservatório cada vez mais cheio da graça do passado. Nos próximos cinco minutos vocês vão receber graça sustentadora que flui até vocês do futuro, e vocês vão acumular mais cinco minutos de graça no reservatório do passado.

Gratidão e Fé

A resposta adequada à graça que vocês experimentaram no passado é a gratidão — um espírito transformado e profundamente humilde. E a resposta apropriada à graça prometida a vocês no futuro é a fé. Nós somos gratos pela graça passada, e temos confiança na graça futura. É aqui que eu encontro a idéia da fé na graça futura. É sobre isso que Paulo está falando em 2 Tessalonicenses 2:11-12. Nós cumprimos nossos bons propósitos pelo poder da graça que chega segundo após segundo, enquanto cremos em Deus por isso, com base na obra de Cristo. E então, nós vivemos esses momentos pela fé no constante derramar da graça futura.

Não é errado dizer que confiamos na graça passada — como a graça que Deus mostrou a nós na cruz e em nosso novo nascimento — mas o que queremos dizer com isso é: Nós cremos que por causa desses atos de graça no passado — a cruz e o novo nascimento — um rio de graça futura nunca, jamais cessará de fluir até nós por toda eternidade. Eu recentemente li, em meus devocionais nesta semana: "Cristo pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles" (Hebreus 7:25). Cristo morreu por nós e vive por nós. E porque a sua morte pagou toda a dívida, e sua vida supre toda necessidade, a graça nunca cessará de fluir até nós. Assim, confiar na graça passada significa projetar dela confiança na graça futura.

Então ainda que nossa fé se baseie em atos decisivos da graça redentora do passado, a maneira pela qual a fé opera, momento após momento, para transformar nossos bons propósitos em obras de pureza e amor (paciência, gentileza, mansidão, bondade, fidelidade, domínio próprio) é olhando para cima e adiante, para a fonte ilimitada de graça que vem até nós através do rio de promessas para cada momento do dia. Nós vivemos por fé no poder sempre presente da graça futura.

Satisfeitos com Todas as Suas Promessas

E aqui está outro aspecto dessa marca teológica de 30 anos. Quando falamos de fé — fé na graça futura — significa estarmos satisfeitos com tudo o que Deus prometeu ser para nós em Cristo. Jesus disse: "Quem crê em mim nunca terá sede" (João 6:35). Em outras palavras: crer em mim significa me receber como aquele que satisfaz a sede das suas almas. Estar satisfeito com tudo o que Deus prometeu ser para nós em Cristo.

Fé não é somente uma séria concordância com a verdade das promessas de Deus, é também a compreensão de Cristo nessas promessas. Quando Paulo diz: "Tenho por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus" (Filipenses 3:8), ele quer dizer que momento após momento, em toda situação, Cristo nos satisfaz. "Já aprendi," Paulo disse, "a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, quanto a ter fome; tanto a ter abundância, quanto a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece" (Filipenses 4:11-13).

Paulo está "contente" — satisfeito — em toda circunstância. Como? Porque ele aprendeu o segredo. Qual? Eu aprendi a confiar nele para fortalecimento, momento após momento. "Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece." A graça futura sobre tudo o que Deus é para mim em Cristo, presente em todos os momentos da minha vida, em todas as circunstâncias, para toda necessidade, é suficiente. Ela satisfaz. Eu estou contente. É isso o que queremos dizer por fé na graça futura.

Então, quando Paulo diz em 2 Tessalonicenses 1:11 que Deus cumpre nossos bons propósitos pelo seu poder através da nossa fé, de acordo com a sua graça, ele quer dizer que nós derrotamos o pecado e operamos justiça pela fé na graça futura, que é estarmos satisfeitos com tudo o que Deus prometeu ser para nós em Cristo nos próximos cinco minutos, cinco semanas, cinco meses, cinco anos, cinto décadas, e cinco séculos, e cinco milhões de eras.

Seis Exemplos

  • Se você propuser no seu coração dar sacrificialmente e generosamente, o poder de Deus para cumprir este propósito virá até você enquanto você confiar na sua graça futura, na promessa: "O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus" (Filipenses 4:19). E na promessa: "Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará" (2 Coríntios 9:6). E na promessa: "E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra" (2 Coríntios 9:8).
  • Se você propuser em seu coração pagar o mal com o bem, o poder de Deus para cumprir este propósito virá a você enquanto você confia em sua graça futura, na promessa: "Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus" (Mateus 5:11-12).
  • Se você propuser no seu coração renunciar à pornografia, o poder de Deus para cumprir este propósito virá a você enquanto você confia em sua graça futura, na promessa: "Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus! (Mateus 5:8). "É melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno" (Mateus 5:29). Muito melhor. Maravilhosamente melhor. Completamente melhor.
  • Se você propuser no seu coração falar de Cristo quando a oportunidade aparecer, o poder de Deus para cumprir este propósito virá a você enquanto você confia em sua graça futura, na promessa: Não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer" (Mateus 10:19).
  • Se você propuser no seu coração arriscar a sua vida para ministrar aos necessitados que vivem em lugares perigosos, o poder de Deus para cumprir este propósito virá a você enquanto você confia na sua graça futura, na promessa: "Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho" (Filipenses 1:21). "E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma. . . Não se vendem dois passarinhos por um ceitil? e nenhum deles cairá em terra sem a vontade de nosso Pai. E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados" (Mateus 10:28-30).
  • Se você propuser no seu coração convidar algumas pessoas para a celebração de Ação de Graças, e estas não podem te retribuir, o poder de Deus para cumprir este propósito virá a você enquanto você confiar na sua graça futura, na promessa: "E serás bem-aventurado; porque eles não têm com que te recompensar; mas recompensado te será na ressurreição dos justos" (Lucas 14:13-14).

Que Deus possa aumentar a nossa fé diária em sua inesgotável graça futura, comprada pelo sangue, e que exalta a Cristo.

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org