Abra meus olhos para que eu possa contemplar

17 Sede generoso para com o teu servo, para que eu viva e observe vossa palavra. 18 Desvendai meus olhos, para que eu contemple as maravilhas de vossa lei. 19 Sou peregrino na terra; não escondais de mim vossos mandamentos. 20 Consumida está a minha alma por desejar, incessantemente, vossos juízos. 21 Repreendestes os soberbos; malditos os que se desviam de vossos mandamentos. 22 Tirai de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado vossos testemunhos. 23 Assentaram-se príncipes e falaram contra mim, mas vosso servo meditou em vossos decretos. 24 Com efeito, vossos testemunhos são meu prazer, meus conselheiros.

Trilhos paralelos no caminho de nossas almas

Quando começou o ano de 1998, o desejo de Deus para nós é que tenhamos o propósito de viajar numa ferrovia de dois trilhos em direção à santidade, ao amor, à missão e ao céu. Os dois trilhos deste trem são oração diante do trono de Deus e meditação na Palavra de Deus. Alguns de vocês podem se lembrar da segunda página do livreto de nossa Declaração missionária: a dinâmica espiritual, que afirma o seguinte:

“Unimo-nos ao Deus Pai para magnificar a supremacia de sua glória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo no poder do Espírito Santo, por apreciar tudo o que Deus é, amar tudo o que ele ama, orar por todos os seus propósitos, meditando em toda a sua palavra, sustentado por sua graça”.

Orar diante do trono de Deus e meditar na Palavra de Deus são como trilhos paralelos que capacitam o trem de nossas almas a permanecer na direção que leva à santidade e ao céu. Precisamos renovar nosso zelo por oração e meditação na Bíblia no princípio do ano. Tudo envelhece, esgota-se e enfraquece sem o reavivamento, renovação e restauração. Assim, durante a Semana de Oração, em todo ano, fixamos nossa atenção nesses atos grandiosos e preciosos para reacender nossa paixão pela oração e pela Palavra.

Três fatos para aprender do Salmo 119,18

Este ano, as duas mensagens que se encaixam na Semana de Oração procedem do Salmo 119,18: “Desvendai meus olhos, para que eu contemple as maravilhas de vossa lei”. Esse versículo combina oração e a Palavra – e precisamos ver como – para que possamos combiná-las desse modo em nossas vidas e em nossa igreja. Há três fatos que aprendemos nesse versículo.

  • Há maravilhas na Palavra de Deus. “Desvendai meus olhos, para que eu contemple as maravilhas de vossa lei”. A palavra “lei” é a Torá e significa “instrução” ou “ensino”, nesse salmo. Há fatos maravilhosos no ensino de Deus para nós. Realmente, eles são muito maravilhosos e quando você os vê concretamente, eles o mudam profundamente e tornam possíveis a santidade, o amor e missões (2 Coríntios 3,18). Por essa razão, ler, conhecer, meditar e memorizar a Palavra de Deus são tão cruciais.

  • O segundo fato que aprendemos nesse versículo é que ninguém pode ver essas maravilhas como são exatamente sem a ajuda sobrenatural de Deus. “Desvendai meus olhos, para que eu contemple as maravilhas de vossa lei”. Se Deus não abrisse nossos olhos, não veríamos a maravilha da Palavra. Não somos naturalmente capazes de vermos a beleza espiritual. Quando lêssemos a Bíblia, sem a ajuda de Deus, a glória dele nos ensinos e eventos da Palavra seria como o sol brilhando na face de um homem cego. Não que não se pudesse construir um significado superficial para ela, mas não se pode ver a maravilha, a beleza, a glória da Palavra sem que ela conquiste seu coração.

  • Algo que nos leva ao terceiro fato que aprendemos nesse versículo é: precisaríamos orar a Deus por iluminação sobrenatural quando lêssemos a Bíblia. “Desvendai meus olhos, para que eu contemple as maravilhas de vossa lei”. Uma vez que somos incapazes por nós mesmos de vermos a beleza espiritual e a maravilha de Deus nos ensinos e eventos da Bíblia sem a graciosa iluminação de Deus, deveríamos pedi-lo por isto: “Abri meus olhos”.

Uma verdade de três passos

Na próxima semana, planejo focar nas maravilhas da Palavra de Deus e na prática como podemos introjetá-las em nossa mente e coração. Mas, hoje focarei na oração. Desejo que possamos ver essa profunda verdade de três passos: a Palavra é fundamental para viver uma vida em direção a Deus que conduz ao céu e tem poder e sentido na terra. Não podemos mesmo ver o que a Palavra realmente é sem a ajuda sobrenatural de Deus. E, portanto, precisamos ser um povo de oração diária, e Deus faria o que quisesse para aplicar as maravilhas da Palavra em nossos corações e em nossas vidas.

Vamos tomar estes três passos, um de cada vez, e vê-los confirmados e ilustrados em outras partes da Bíblia.

1. A Palavra é fundamental para a vida de santidade

O primeiro fato é compreender a Palavra, conhecê-la e tê-la em nós como fundamento para viver uma vida de santidade, amor e poder para os propósitos de Deus.

Olhe em retrospecto para o versículo 11: “Guardo no coração vossa palavra, para não pecar contra vós”. Como então evitamos o pecado em nossas vidas? Por valorizar a Palavra de Deus em nossos corações. Quantas pessoas fazem de suas vidas um caos por não meditar, amar e memorizar a Palavra de Deus! Você quer ser santo; isto é, você quer poder para vencer o pecado e viver uma vida de piedade radical, amor sacrificial e devoção completa à causa de Cristo? Então embarque nesta estrada. Deus ordenou uma direção para a santidade e poder: e essa direção é valorizar a Bíblia em nossos corações.

Digo isso aos idosos e aos pais dos jovens. Meditem, memorizem e nutram os mandamentos, conselhos e promessas de Deus nas Escrituras. Não, não digo que isso seja fácil, especialmente quando se está idoso. Mas a maioria das coisas que são dignas de serem feitas não são fáceis. Construir uma peça de móvel fino, compor um bom poema, uma grande peça musical, preparar uma comida especial ou celebração — nenhuma dessas coisas é fácil. Mas vale a pena fazê-las. Uma vida boníssima não vale a pena ser vivida?

Talitha tem agora dois anos de idade e está começando a aprender versículos da Bíblia de cor. Ela também está aprendendo formas de oração. Por quê? Porque ter o apuro de dedicar tempo e fazer esforço para repetir sempre a Bíblia para ela? Muito simples: quando for uma adolescente, quero que ela seja piedosa, pura, santa, amável, humilde, generosa, submissa e sábia. E a Bíblia afirma, tão claro como o dia, que essas virtudes procedem da valorização da Palavra de Deus em seu coração. “Guardo no coração vossa palavra, para não pecar contra vós”.

Jesus expressa isso dessa forma em sua grande oração por nós em João 17,17: “Santifica-os na verdade. A tua palavra é a verdade”. “Santificar” é uma palavra bíblica para a ação de fazer uma pessoa piedosa, amável, pura, virtuosa ou espiritualmente sábia. E essas virtudes desejo para mim mesmo, para meus filhos e para você. Assim, o que devemos fazer este ano? Se formos santificados pela verdade e a Palavra de Deus é a verdade, o que devemos fazer?

Se um doutor afirma: “Você está muito doente e poderá morrer por causa dessa enfermidade, mas se você tomar este remédio, ficará bem e viverá” e você se descuida em tomar o remédio. Então, vêm as desculpas: você está muito atarefado, as pílulas são grandes e difíceis de serem ingeridas, você se esquece de as tomar e permanecerá doente e poderá morrer. Da mesma forma acontece com o pecado e a imaturidade espiritual. Se você negligenciar o que Deus lhe diz, que o santificará e o fará maduro, forte e santo, então você não será maduro, forte e santo. Ler, meditar, memorizar e nutrir-se da Palavra é a direção designada por Deus para vencer o pecado e se tornar uma pessoa forte, piedosa, madura, amável e sábia.

Há maravilhas a serem vistas na Palavra que o transformarão profundamente se realmente as vir e as valorizar em si mesmo.

2. Não podemos ver sem a ajuda de Deus

O segundo fato no texto é que não somos capazes de ver essas maravilhas na Palavra exatamente como elas são sem a ajuda sobrenatural de Deus.

A razão é que somos seres caídos, corruptos e mortos em pecado e, portanto, cegos, ignorantes e insensíveis. Paulo nos descreveu desta forma em Efésios 4,18: “Têm o entendimento obscurecido.Estão alheios à vida de Deus pela ignorância em que estão, pelo endurecimento de seu coração”.

Aqui está a forma como Moisés escreveu sobre esse problema em Deuteronômio 29, 2-4: “Chamou Moisés a todo Israel e disse-lhes: Tendes visto tudo quanto o Senhor fez na terra do Egito… os sinais e grandes maravilhas. Porém, o Senhor não vos deu coração para entender, nem olhos para ver, nem ouvidos para ouvir”. Note: tendes visto..., porém, não se pode ver sem a obra sobrenatural de Deus.

Essa é a nossa situação angustiosa. Somos culpados, corruptos, insensíveis, ignorantes e cegos sem a obra de despertamento, estímulo, abrandamento, humildade, purificação, e iluminação de Deus em nossas vidas. Jamais veremos a beleza da realidade espiritual sem a iluminação de Deus. Nunca veremos a maravilha e a glória que a Palavra ensina sem que Deus abra os olhos de nossos corações e nos conceda uma percepção espiritual dessas coisas.

A razão para ensinar essa necessidade e conhecê-la é fazer-nos desesperados por Deus e famintos dele e nos levar a suplicar e clamar a Deus por essa ajuda na leitura da Bíblia.

No tópico 2, compare também: Mateus 16,17 com 11,4 e Lucas 24,45; 1 Coríntios 2,14-16; João 3,6-8; e Romanos 8,5-8.

3. Precisamos orar a Deus para que Ele nos ajude a ver

Isso nos leva ao último fato: se conhecer e valorizar a verdade da Palavra de Deus é fundamental para ser santo, amável, maduro e apegado ao céu e se nós, por natureza, não podemos ver as maravilhas da Palavra de Deus e sentir a atração de sua glória, então estamos em uma condição desesperada e necessitados orar a Deus para nos ajudar a ver. “Desvendai meus olhos, para que eu contemple as maravilhas de vossa lei”.

Em outras palavras, a oração é essencial para a vida cristã, pois ela é a chave para destrancar o poder da Palavra em nossas vidas. A glória da Palavra é semelhante ao brilho do sol na face do homem cego a menos que Deus abra nossos olhos para essa glória. E, se não virmos a glória, não seremos transformados (2 Coríntios 3,18; João 17,17) e, se não somos transformados, não somos cristãos.

Em Efésios 1,18, Paulo ora deste modo: “Oro para que sejam iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento”... Em outras palavras: Ensinei a vocês essas coisas e vocês as receberam com seus sentidos externos, mas, a menos que vocês percebam a glória delas com vosso sentido espiritual (“os olhos de vosso coração”), não serão transformados. (Veja também Efésios 3,14-19; Colossenses 1,9 com 3,16). Agora, esses são os cristãos para quem ele escreve e demonstra que precisamos continuar em oração até alcançarmos o céu para que os olhos espirituais possam ver.

Sete tipos de oração para saturarmos nossa leitura bíblica

Mas visto que nosso texto é o Salmo 119,18: “Desvendai meus olhos, para que eu contemple as maravilhas de vossa lei”, devemos permitir que esse salmista nos mostre como ele ora, de modo geral, a respeito da leitura da Palavra de Deus. Assim, permita-me concluir com uma pequena viagem no Salmo 119 e lhe mostrar sete tipos de oração com as quais poderá saturar sua leitura bíblica este ano.

Devemos orar assim...

  1. Que Deus nos ensine sua Palavra. Salmo 119,12b: “Ensina-me vossos estatutos” (Veja também os versículos 33, 64b, 66, 68b, 135). O verdadeiro aprendizado da Palavra de Deus é somente possível se o próprio Deus é o mestre em todos os outros meios de ensino.
  2. Que Deus não oculte sua Palavra de nós, Salmo 119,19b: “Não escondais de mim vossos mandamentos”. A Bíblia nos adverte do horrendo castigo ou julgamento da Palavra de Deus que será tomada de nós (Veja também o versículo 43).
  3. Que Deus nos faça entender sua Palavra. Salmo 119,27: “Fazei-me atinar com o caminho dos teus preceitos” (versículos 34, 73b, 144b, 169). Aqui, pedimos a Deus para nos fazer compreender — a realizar o que for necessário para nos fazer entender sua Palavra.
  4. Que Deus incline nossos corações para a Palavra, Salmo 119,36: “Inclinai-me o coração aos vossos testemunhos e não à [cobiça]”. O grande problema conosco não é primariamente nossa razão, mas nossa vontade — não temos inclinação por natureza a ler, meditar e memorizar a Palavra. Assim, precisamos orar a Deus para inclinar nossas vontades.
  5. Que Deus nos conceda vida para obedecer à Palavra, Salmo 119,88: “Vivificai-me, segundo a vossa misericórdia, e guardarei os testemunhos oriundos de vossa boca”. Deus sabe que precisamos de vida e energia para nos dedicar à Palavra e à obediência a ela. Por conseguinte, ele pede a Deus por essa necessidade básica (Veja também o versículo 154b).
  6. Que Deus firme nossos passos na Palavra. Salmo 119,133: “Firmai meus passos na vossa Palavra”. Somos dependentes do Senhor não apenas para compreensão e vida, mas para o desempenho na Palavra. Que ele firme essa Palavra em nossas vidas. Não podemos fazer isso com nossas próprias forças.
  7. Que Deus nos procure quando nos afastarmos da Palavra, Salmo 119,176: “Ando errante como ovelha desgarrada; procura o vosso servo”. É extraordinário que esse homem piedoso termina esse salmo com uma confissão de pecado e a necessidade de Deus vir à procura dele e trazê-lo de volta. Para isso, também devemos orar frequentemente.

A Palavra, nosso tesouro

Concluo que, ao ingressarmos no ano de 1998 e queremos ser santos, amáveis e radicalmente compromissados com o propósito de Deus na cidade e nas nações, precisamos ser o povo que valoriza a Palavra em nossos corações, mas, mais que isso, pessoas que conhecem nossa condição desesperadora à parte de Deus e que ele designou a oração como a forma com que nossos olhos serão abertos para ver as maravilhas na Palavra e, desse modo sermos, transformados. “Desvendai meus olhos, para que eu contemple as maravilhas de vossa lei”.

Quão sincero o salmista é nesses tipos de orações? Uma resposta é dada no Salmo 119,147: “Antecipo-me ao alvorecer do dia e clamo; nas vossas palavras, espero confiante”. Ele acorda cedo! A oração é a principal prioridade. Você faria da oração sua prioridade principal?

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org