Solteiro em Cristo: Um Nome Melhor Que Filhos e Filhas

Isaías 56:1-7

Assim diz o SENHOR: "Mantende o juízo e fazei justiça, porque a minha salvação está prestes a vir, e a minha justiça, prestes a manifestar-se. 2 Bem-aventurado o homem que faz isto, e o filho do homem que nisto se firma, que se guarda de profanar o sábado e guarda a sua mão de cometer algum mal. 3 Não fale o estrangeiro que se houver chegado ao SENHOR, dizendo: O SENHOR, com efeito, me separará do seu povo; nem tampouco diga o eunuco: Eis que eu sou uma árvore seca. 4 Porque assim diz o SENHOR: Aos eunucos que guardam os meus sábados, escolhem aquilo que me agrada e abraçam a minha aliança, 5 darei na minha casa e dentro dos meus muros, um memorial e um nome melhor do que filhos e filhas; um nome eterno darei a cada um deles, que nunca se apagará. 6 Aos estrangeiros que se chegam ao SENHOR, para o servirem e para amarem o nome do SENHOR, sendo deste modo servos seus, sim, todos os que guardam o sábado, não o profanando, e abraçam a minha aliança, 7 também os levarei ao meu santo monte e os alegrarei na minha Casa de Oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar, porque a minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos."

Começarei e terminarei com meu pronto principal e, no meio, abrangerei um amplo terreno das Escrituras para sustentá-lo. Meu ponto principal é que Deus promete, àqueles entre vocês que permanecem solteiros em Cristo, bênçãos que são melhores que as bênçãos de casamento e filhos; e ele os chama para mostrar, pela devoção que exalta a Cristo do seu solteirismo, as verdades sobre Cristo e seu reino que brilham mais claramente através do solteirismo do que através do casamento e da criação de filhos. As verdades, a saber,

  1. Que a família de Deus não cresce pela pela reprodução através da relação sexual, mas pela regeneração pela fé em Cristo;1
  2. Que relacionamentos em Cristo são mais permanentes, e mais preciosos, do que relacionamentos em famílias (e, claro, é maravilhoso quando os relacionamentos nas famílias são também relacionamentos em Cristo; mas nós sabemos que geralmente não é o caso);
  3. Que o casamento é temporário, e finalmente dá caminho ao relacionamento ao qual estava apontando o tempo todo: Cristo e a igreja — da mesma forma que um retrato não é mais necessário quando você vê face a face;
  4. Que a fidelidade a Cristo define o valor da vida; todos os outros relacionamentos obtêm seu significado final disso. Nenhum relacionamento familiar é definitivo; o relacionamento com Cristo é.

Resumindo o ponto principal: Deus promete bênçãos espetaculares para aqueles entre vocês que permanecem solteiros em Cristo, e Ele dá a vocês um chamado extraordinário para sua vida. Ser solteiro em Cristo é, portanto, não uma privação do melhor de Deus, mas um caminho da obediência que guarda a aliança e exalta a Cristo, que muitos são chamados para seguir.

Melhores Bênçãos Que Filhos e Filhas

Agora vamos voltar e olhar as Escrituras. E aqui, deixe-me dar crédito a Barry Danylak pela sua pesquisa nessa questão e seu papel muito útil, "A Biblical-Theological Perspective on Singleness" (Uma Perspectiva Bíblico-teológica em Solteirismo). Vamos começar no meio da Bíblia em Isaías 56:4-5,

Porque assim diz o SENHOR: "Aos eunucos [aqueles que não podem procriar, mas voltam suas vidas para um serviço sem igual ao invés do casamento] que guardam os meus sábados, escolhem aquilo que me agrada e abraçam a minha aliança, darei na minha casa e dentro dos meus muros, um memorial2 e um nome melhor do que filhos e filhas; um nome eterno darei a cada um deles, que nunca se apagará."

Deus promete abençoar eunucos obedientes com bênçãos que são melhores que filhos e filhas. Em outras palavras, Deus promete àqueles entre vocês que permanecem solteiros em Cristo, bênçãos que são melhores do que as bênçãos do casamento e filhos.

O Panorama Maior na História da Redenção

Mas para ver isso mais claramente, precisamos obter o panorama maior. Na ordem da criação que Deus implementou antes que o pecado viesse ao mundo, e na ordem da aliança que Deus estabeleceu com o povo Judeu de Abraão até a vinda de Cristo, "Deus está primeiramente construindo seu povo da aliança através do mecanismo da procriação."3 Deus estava focando sua fidelidade que guarda a aliança num povo étnico. Portanto, casar e ter filhos era de suprema importância para o nome e herança da pessoa e para a preservação do povo da aliança de Deus.

Criação

Então em Gênesis 1:28, a primeira coisa que Deus diz a Adão e Eva é, "Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra." E no relato de Gênesis 2:18, quando a mulher ainda não tinha sido criada, Deus disse, "Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea."

Abraão e Isaque

E quando Abraão foi escolhido como o pai do povo de Deus, Deus o conduziu para fora e lhe mostrou as estrelas e disse, "Será assim a tua posteridade" (Gênesis 15:5). E quando Abraão não pode ter um filho por causa da esterilidade de Sara, Abraão disse, "Tomara que viva Ismael diante de ti!" Mas Deus respondeu, "Não, . . . Sara, tua mulher, te dará um filho." Em outras palavras, a descendência importava. E viria da maneira de Deus.

Deus reafirma o mesmo a Isaque em Gênesis 26:3: "Serei contigo e te abençoarei; porque a ti e a tua descendência darei todas estas terras e confirmarei o juramento que fiz a Abraão, teu pai." De novo a "descendência" física é crucial para a aliança.

Davi e Saul

Estes descendentes são cruciais não somente para a preservação da aliança, mas também porque o nome de uma pessoa terminaria sem filhos. Então Saul pede que Davi jure não eliminar sua descendência por amor ao seu nome. I Samuel 24:21: "Portanto, jura-me pelo SENHOR que não eliminarás a minha descendência, nem desfarás o meu nome da casa de meu pai."

Casamento Levirato e Rute

Lembre-se de todo o elaborado sistema do casamento Levirato — isto é, o casamento de um homem com a viúva do seu irmão para que o nome do irmão falecido não se perdesse. A lei era que o primeiro filho nascido levaria o nome do irmão morto. Deuteronômio 25:6: "O primogênito que ela lhe der será sucessor do nome do seu irmão falecido, para que o nome deste não se apague em Israel." É uma incrível provisão para a perpetuação do nome através da descendência física.

O exemplo mais famoso disso, é quando Boaz aceitou casar-se com Rute para preservar o nome de Elimeleque, seu sogro e Malom, o esposo dela. Boaz disse, "e também tomo por mulher Rute, a moabita, que foi esposa de Malom, para suscitar o nome deste sobre a sua herança, para que este nome não seja exterminado dentre seus irmãos e da porta da sua cidade; disto sois, hoje, testemunhas" (Rute 4:10).

Filha de Jefté

Então vocês podem ver quão crucial o casamento, a descendência, a preservação de um nome e uma herança eram em Israel. Não é de se admirar que a filha de Jefté pediu dois meses não para lamentar a morte iminente dela, mas o fato de que ela nunca foi casada. Juízes 11:37-38a: "Disse mais a seu pai: Concede-me isto: deixa-me por dois meses, para que eu vá, e desça pelos montes, e chore a minha virgindade, eu e as minhas companheiras. Consentiu ele: Vai."

Profecia de Isaías: "Ele Verá a Sua Posteridade"

Tudo isto é o pano de fundo que faz Isaías 56:5 brilhar como o sol aos eunucos e outros sem casamento e filhos: "Porque assim diz o SENHOR: "Aos eunucos que guardam os meus sábados, escolhem aquilo que me agrada e abraçam a minha aliança, darei na minha casa e dentro dos meus muros, um memorial e um nome melhor do que filhos e filhas; um nome eterno darei a cada um deles, que nunca se apagará." Assim, sem casamento e sem filhos, esses eunucos que guardam a aliança recebem um nome e um memorial melhor que filhos e filhas.

De onde veio esta incrível promessa? Qual é a base disso e para o que está apontando? Volte a Isaías 53. Essa é a grande profecia dos sofrimentos de Cristo que "foi traspassado pelas nossas transgressões [e] . . . moído pelas nossas iniquidades" (Isaías 53:5). Nesse capítulo, nós, às vezes, deixamos passar essas palavras no verso 10: "Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos."

Ele verá a sua posteridade. Aqui está uma grande profecia: Quando o Messias morre como uma "oferta pelo pecado" e ressuscita para "prolongar seus dias," ele irá, por esse grande ato salvífico, produzir muitos filhos: Ele irá "ver sua posteridade." Em outras palavras, o novo povo de Deus formado pelo Messias não será formado pela procriação física, mas pela morte expiatória de Cristo.

É por isso que o próximo capítulo (Isaías 54) começa, "Canta alegremente, ó estéril, que não deste à luz; exulta com alegre canto e exclama, tu que não tiveste dores de parto; porque mais são os filhos da mulher solitária do que os filhos da casada, diz o SENHOR." (Isaías 54:1). E é por isso também porque nosso texto (Isaías 56:5) diz que o povo solteiro que guarda a aliança terá "um memorial e um nome melhor do que filhos e filhas . . . [e] um nome eterno que nunca se apagará." No verdadeiro povo de Deus formado por Jesus Cristo, monumentos, nomes, posteridade, e heranças não surgem por meio do casamento e procriação.

Jesus, Paulo e Pedro

Desta forma, quando chegamos agora ao Novo Testamento, Jesus deixa claro que seu povo — o verdadeiro povo de Deus — será produzido não por procriação física, mas por regeneração espiritual. Então ele diz a Nicodemos, "Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus" (João 3:3).

E Paulo diz em Gálatas 3 aos Judeus e Gentios igualmente, "Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão. . . todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus" (Gálatas 3:7, 26). Em outras palavras, não é a linhagem física de Abraão que faz você fazer parte do povo da aliança de Deus, mas a fé em Cristo.

E Pedro diz que nossa herança vem, não através do casamento e da posteridade, mas por meio da obra de Cristo e do novo nascimento: "Segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros" (1 Pedro 1:3-4).

Então Jesus, Paulo e Pedro, todos dizem: Crianças nascem dentro da família de Deus e recebem sua herança, não por casamento e procriação, mas pela fé e regeneração. O que significa que pessoas solteiras em Cristo não tem nenhuma desvantagem em dar filhos para Deus, e podem de várias maneiras ter uma grande vantagem. O apóstolo Paulo era solteiro em Cristo, e disse do seus convertidos, "Ainda que tivésseis milhares de preceptores em Cristo, não teríeis, contudo, muitos pais; pois eu, pelo evangelho, vos gerei em Cristo Jesus" (1 Coríntios 4:15). Paulo era um grande pai, e nunca casou. Ele fala para mulheres solteiras em Cristo em 1 Tessalonicenses 2:7: "Nos tornamos carinhosos entre vós, qual ama que acaricia os próprios filhos." Então será dito de muitas mulheres solteiras em Cristo: Ela era uma grande mãe e nunca se casou.

Uma Reordenação Relacional Radical

Tome cuidado aqui para que você não minimize o que eu estou dizendo e não escute o quão radical isso realmente é. Eu não estou sentimentalizando o solteirismo para fazer os solteiros se sentirem bem. Eu estou declarando a natureza temporária e secundária do casamento e da família, em oposição a natureza eterna e primária da igreja. Casamento e família são temporários para esta era; a igreja é eterna. Estou declarando a verdade bíblica radical que estar em uma família humana não é nenhum sinal de bênção eterna, mas estar na família de Deus significa ser eternamente abençoado. Relacionamentos baseados na família são temporários. Relacionamentos baseados na união com Cristo são eternos. O Casamento é uma instituição temporária, mas o que ele representa dura para sempre. "Na ressurreição," Jesus disse, "nem casam, nem se dão em casamento; são, porém, como os anjos no céu" (Mateus 22:30).

E quando sua própria mãe e irmãos pediram para vê-lo, Jesus disse, "Quem é minha mãe e quem são meus irmãos? E, estendendo a mão para os discípulos, disse: Eis minha mãe e meus irmãos" (Mateus 12:48-49). Jesus está mudando tudo completamente. Sim, ele amava sua mãe e seus irmãos. Mas aqueles são todos relacionamentos naturais e temporários. Ele não veio ao mundo para focar naquilo. Ele veio ao mundo para convocar um povo para o seu nome, de todas as famílias para uma nova família, onde pessoas solteiras em Cristo são membros da família com pleno direito em igualdade com todos os outros, dando fruto para Deus e se tornando mães e pais da natureza eterna.

"Uma mulher, que estava entre a multidão, exclamou e disse a Jesus: Bem-aventurada aquela que te concebeu, e os seios que te amamentaram! Ele, porém, respondeu: Antes, bem-aventurados são os que ouvem a palavra de Deus e a guardam! (Lucas 11:27-28). A mãe de Deus é a Cristã obediente — casada ou solteira! Respire fundo e reorganize seu mundo.

"Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho, que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna" (Marcos 10:29-30). Solteiro, casado, você quer filhos, mães, irmãos, irmãs, terras? Renuncie a primazia dos seus relacionamentos naturais e siga Jesus na companhia do povo de Deus.

Aquele Que é Apto Para o Admitir Admita

Que diremos, pois, tendo em vista esta grande visão bíblica da natureza secundária e temporária do casamento e da procriação? Diremos o que Jesus e Paulo disseram em Mateus 19:12, "Porque há eunucos de nascença; há outros a quem os homens fizeram tais; e há outros que a si mesmos se fizeram eunucos, por causa do reino dos céus. Quem é apto para o admitir admita." Não precisamos tomar isso ("se fizeram eunucos") para fazer alusão a nenhum tipo de esterilização física, não mais do que tomamos as palavras de Jesus "arranca teu olho direito" para aludir a cegar-nos fisicamente. Mas isso significa que Jesus aprova que alguns de seus seguidores renunciem o casamento e a atividade sexual por amor ao serviço do Reino de Deus. "Aquele que é apto para o admitir admita."

Isto é o que Paulo escolheu para si, e o que ele encorajou outros a considerarem em 1 Coríntios 7. "E aos solteiros e viúvos digo que lhes seria bom se permanecessem no estado em que também eu vivo. . . . O que realmente eu quero é que estejais livres de preocupações. Quem não é casado cuida das coisas do Senhor, de como agradar ao Senhor; mas o que se casou cuida das coisas do mundo, de como agradar à esposa . . . . Digo isto . . . vos facilite o consagrar-vos, desimpedidamente, ao Senhor" (1 Coríntios 7:8, 32-33, 35). Em outras palavras, alguns são chamados para ser "eunucos" para o Reino de Deus. Paulo fala sobre cada um ter seu próprio dom: "um, na verdade, de um modo; outro, de outro" (1 Coríntios 7:7). Em outras palavras, "Aquele que é apto para o admitir admita."

Bênçãos Melhores

Então, agora nós terminamos onde começamos com toda essa Escritura em nossa mente. Deus promete àqueles entre vocês que permanecem solteiros em Cristo, bênçãos que são melhores que bênçãos do casamento e filhos.

Se alguém perguntar, não seria melhor ter os dois? As bênçãos do casamento e as bênçãos do céu? Existem duas respostas para essa questão. Uma é que você descobrirá algum dia, e melhor aprender isso agora, que as bênçãos de se estar com Cristo no céu, são de longe, superiores as bênçãos de se estar casado e criar filhos, e que fazer esta pergunta será como perguntar: Não seria melhor ter o oceano e o dedal cheios? E a segunda resposta é que ambos, casamento e solteirismo, nos presenteiam com experiências únicas e oportunidades únicas para a nossa santificação. Haverá recompensas únicas para cada um, e qual é maior não dependerá se você foi casado ou solteiro, mas como você respondeu a cada uma.

Então novamente eu digo a todos os solteiros em Cristo: Deus promete a você bênçãos na era futura, que são melhores do que as bênçãos do casamento e filhos.

Mostrar Singularmente as Glórias de Cristo

E com essa promessa surge um chamado único e uma responsabilidade única. Não é um chamado para estender a adolescência irresponsável aos seus trinta anos. É um chamado para fazer o que somente solteiros e solteiras em Cristo podem fazer neste mundo, a saber, demonstrar pela devoção, que exalta a Cristo, do seu solteirismo, as verdades sobre Cristo e seu reino que brilham mais claramente através do solteirismo do que pelo casamento. Enquanto você é solteiro, este é seu chamado: viver para Cristo de forma a torná-lo mais claro para o mundo e para a Igreja.

  1. Que a família de Deus cresça não pela propagação através da relação sexual, mas pela regeneração através da fé em Cristo;
  2. Que os relacionamentos em Cristo são mais permanentes, e mais preciosos, do que relacionamentos em famílias;
  3. Que o casamento é temporário, e finalmente dá caminho ao relacionamento ao qual estava apontando o tempo todo: Cristo e a igreja — da mesma forma que um retrato não é mais necessário quando você vê face a face;
  4. E que a fidelidade a Cristo define o valor da vida; todos os outros relacionamentos obtêm seu significado final disso. Nenhum relacionamento familiar é definitivo; relacionamento com Cristo é.

A ele seja a glória no drama do casamento que exalta a Cristo e no drama da vida solteira que exalta a Cristo. Amém.


1 Eu fiz um empréstimo aqui da expressão de Barry Danylak, "A Biblical-Theological Perspective on Sigleness" (PDF), p. 15. "The propagation of the people of God in the New Testament occurs not through physical procreation as in the Old Testament, but rather through spiritual regeneration.” Esse é um trabalho inédito e reflete os atuais estudos de doutorado de Barry na Universidade de Cambridge. Esse sermão foi elaborado fortemente na abordagem de Barry para a questão do solteirismo na Bíblia.

2 A tradução literal do Hebreu é: "dentro dos meus muros, uma mão e um nome melhor que filhos e filhas." Para o sentido por trás da palavra mão (traduzida como monumento), compare 2 Samuel 18:18 onde Absalão diz, "Filho nenhum tenho para conservar a memória do meu nome; e deu o seu próprio nome à coluna; pelo que até hoje se chama a mão de Absalão" (tradução literal, normalmente traduzida como "monumento"). Absalão tinha construído esse memorial por si mesmo e para si mesmo (v. 18a). Então ele tinha estendido sua memória para o futuro por sua própria mão. Talvez então, a ideia de mão, é que o bem que vem a nós no futuro, ou o memorial que nos mantém em memória no futuro, é nosso efeito permanente como se nossas mãos ainda estivessem ativas.

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For Internet posting, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org

This Week at Desiring God

Six Things Every Freshman Needs to Know

Six Things Every Freshman Needs to Know

by Sammy Rhodes