Aos Pregadores da Prosperidade: Recomendando Cristo como Lucro

Article by

Founder & Teacher, desiringGod.org

Este é o décimo segundo artigo de uma série de doze retirado de “Doze Apelos aos Pregadores da Prosperidade” encontrado na nova edição de Alegrem-se todas as nações.

Minha maior preocupação sobre o efeito desse movimento de prosperidade é que venha a diminuir Cristo fazendo com que Ele seja menos o centro e traga menos satisfação do que suas dádivas. Cristo não é mais exaltado por ser Aquele que dá a riqueza. Ele é mais exaltado por satisfazer a alma daqueles que se sacrificam por amor aos outros em nome do evangelho.

Quando nós recomendamos Cristo como aquele que nos torna ricos nós glorificamos riquezas, e Cristo passa a ser um meio para aquilo que realmente queremos, nome, saúde, riqueza e prosperidade. Mas quando recomendamos Cristo como Aquele que satisfaz a alma para sempre – mesmo quando não temos saúde, riqueza e prosperidade -– então Cristo é muito mais exaltado e mais precioso do que todos essas dádivas..

Nós vemos em Filipenses 1:20-21. Paulo diz: "Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que . . . Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho". Honrar a Cristo acontece quando o valorizamos tanto que a morte é ganho. Porque morrer significa: "partir e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor." (Filipenses 1:23).

Essa é a observação que falta para os pregadores da prosperidade. O novo testamento visa a glória de Cristo, não a glória de Suas dádivas. Para tornar mais claro, isso coloca toda a vida Cristã sob um cartaz de alegre abnegação. "Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me" (Marcos 8:34). "Já estou crucificado com Cristo." (Gálatas 2:20).

Mas mesmo a abnegação é um caminho difícil que leva a vida (Mateus 7:14), e é o mais rejubilante de todos os caminhos. "Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo" (Mateus 13:44). Jesus diz que encontrando Cristo como seu tesouro faz todas as posses alegremente dispensáveis. "Pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo".

Eu não quero que pregadores da prosperidade parem de chamar as pessoas à extrema alegria. Ao contrário, apelo para que eles parem de encorajar as pessoas a procurar sua alegria em coisas materias. A alegria que Cristo nos oferece é tão maravilhosa, tão duradoura que nos permite perder tudo e ainda assim regozijar-nos. "Com gozo permitistes a espoliação dos vossos bens, sabendo que, em vós mesmos, tendes nos céus uma possessão melhor e permanente". (Hebreus 10:34) A Graça de ser feliz na perda da prosperidade – este é o milagre que os pregadores da prosperidade deveriam buscar. Esse seria o sal da terra e a luz do mundo que exalta Cristo como supremo valor.