Cristãos Deveriam Dizer Que o Objetivo Deles é Converter Outros à Fé em Cristo?

Primeiramente, por que estou fazendo esta pergunta? Três motivos:

  1. Porque em nosso delicado e perigoso cenário de pluralismo religioso global, a maneira como falamos sobre nossas metas pode nos colocar para fora de um país ou coisa pior.
  2. Porque nós queremos seguir o padrão de honestidade de Paulo: "Rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade" (2 Coríntios 4:2).
  3. Porque nós precisamos de clareza bíblica sobre nosso papel na conversão de outras pessoas a Cristo, a fim de não rejeitarmos o alvo da conversão por motivos equivocados.

Vamos começar com uma definição.

A conversão cristã é o ato ou processo de ser mudado (sem coerção, mas através de nossa própria volição) em uma nova pessoa que crê e valoriza Jesus Cristo, sua obra salvadora, e suas promessas acima de tudo, incluindo tudo o que nós acreditávamos ou valorizávamos antes da conversão.

Dada a definição, minha resposta para a pergunta é: Sim, todos os cristãos deveriam almejar converter pessoas para a fé em Jesus Cristo. Este é um de nossos alvos em tudo o que dizemos e fazemos. Esperamos e oramos para que tudo o que dissermos e fizermos tenha este efeito. Em outras palavras, nosso alvo é não dizer coisas e fazer coisas que sejam ineficazes. Nós desejamos — nós esperamos, nós ansiamos, nós oramos — que o que nós dissermos e fizermos tenha este efeito: que pessoas valorizem Cristo acima de tudo. Não querer isso é ter incredulidade ou desamor.

Mas dizer que a conversão cristã é nosso alvo ainda não define qual é nosso papel em fazer a conversão acontecer. Isso é o que carece de explicação bíblica.

E aqui eu quero apenas trazer um esclarecimento: O fato de que Deus seja a causa última e decisiva na conversão não quer dizer que não somos agentes ativos na conversão. Nós somos. E, como agentes de Deus na conversão nós a visamos — escolhemos o que fazer e dizer, na esperança de que isso seja usado por Deus para realizar a conversão.

O fato de que Jesus disse, "ninguém poderá vir a mim, se, pelo Pai, não lhe for concedido" (João 6:65), não significa que nós não sejamos instrumentos para trazer pessoas até Cristo. "O Espírito e a noiva [a Igreja] dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem!" (Apocalipse 22:17).

A Bíblia não sugere que porque Deus causa as pessoas a virem, não devemos dizer: "Vem." Nosso objetivo e esforço são para que eles venham. E Deus é quem decide se eles vêm. Dizer que não estamos almejando que eles venham contradiz o mandamento de Jesus (Lucas 14:23), contradiz a instrumentalidade humana do Evangelho (Romanos 10:13-15), e contradiz o amor.

Considere outras cinco maneiras com que a Bíblia fala sobre nosso papel na conversão de outros.

1. Conversão cristã envolve pessoas espiritualmente cegas poderem ver a glória de Cristo. Embora seja Deus quem abra os olhos dos cegos espiritualmente (2 Coríntios 4:6), Jesus envia Paulo para abrir os olhos deles.

Livrando-te do povo e dos gentios, para os quais eu te envio, para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim. (Atos 26:17-18)

Se Paulo dissesse que seu objetivo não é abrir os olhos deles, seria desobediência à missão que Jesus lhe deu.

2. Conversão cristã envolve ganhar pessoas que valorizam qualquer coisa acima de Cristo para a plena devoção a Cristo. Embora Deus seja decisivo na mudança de afetos das pessoas (Jeremias 24:7), Paulo diz que seu objetivo é conquistar as pessoas.

Fiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. (1 Coríntios 9:22)

Se Paulo dissesse que seu objetivo não é ganhar pessoas para Cristo, estaria contrariando sua missão.

3. Conversão cristã envolve trazer as pessoas de volta do caminho do pecado e da destruição. Embora Deus seja quem decisivamente nos traz de volta a si mesmo (Jeremias 31:18, Isaías 57:18), a Bíblia fala de nós trazendo pessoas de volta do pecado e da morte.

Sabei que aquele que converte o pecador do seu caminho errado salvará da morte a alma dele e cobrirá multidão de pecados. (Tiago 5:20)

Dizer que não almejamos trazer as pessoas de volta do pecado e da morte nos colocaria fora de sintonia com este texto e implicaria que não nos preocupamos com a morte de incrédulos.

4. Conversão cristã envolve mover o coração em direção ao verdadeiro Deus, longe de ideias erradas sobre Deus e as afeições erradas para o que não é Deus. Embora Deus seja decisivo no mover do coração do homem para si mesmo (2 Tessalonicenses 3:5), João Batista foi comissionado para mover os corações de Israel a Deus.

"E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus. E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado." (Lucas 1:16-17)

Se João Batista dissesse que ele não almeja mover os corações do povo a Deus, ele seria desobediente ao seu chamado.

5. Conversão cristã envolve nascer de novo. Embora o Espírito de Deus seja a causa soberana do novo nascimento, soprando onde quer (João 3:8), mesmo assim, Pedro explica que isso acontece por meio da pregação do evangelho pelos seres humanos.

"Pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente... Ora, esta é a palavra que vos foi evangelizada." (1 Pedro 1:23-25)

Se o pregador do evangelho dissesse que ele não está visando o novo nascimento em sua pregação, isso iria colocá-lo fora de sintonia com o Espírito e iria contradizer o projeto de Deus na forma como as pessoas nascem de novo.

Portanto, concluo que não é bíblico dizer que não estamos visando a conversão porque Deus é a causa final e decisiva da conversão. Ele é. Mas nós somos os seus agentes, e ele nos chama para acompanhá-lo neste objetivo. Não almejar isso é colocar-nos fora de sintonia com o seu comando e seu Espírito.

Pela causa de Deus e da verdade,

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in physical form, in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For posting online, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. For videos, please embed from the original source. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org