Às vezes o Senhor Aniquila os Seus Amados

Artigo by

Founder & Teacher, desiringGod.org

Algumas pessoas são, por natureza, difíceis, fechadas, práticas, insensíveis. Outros são gentis, calorosos, de fala mansa, emocionalmente sensíveis. Alguns, surpreendentemente, são uma mistura de tudo isso. Em geral, o que faz com que essas pessoas diferentes se sintam amadas é também muito diferente.

Ser avaliado por estas diferentes pessoas pode ser apavorante. Suas respostas a um sermão, ou um comentário em uma conversa, podem ser extremos opostas - um sentindo-se firmemente amado, um outro sentindo-se asperamente desprezado.

O que devemos fazer? Eu acho que deveríamos gastar nossas vidas imergindo-nos nas Escrituras de modo que cresçamos no tipo de pessoas que se sentem amadas por o que quer que seja que a Bíblia apresente como amável.

Parece-me que a maioria de nós tem mais dificuldades de sentir-se amado com uma disciplina rígida do que nos sentirmos amados com ternura e afirmação. Portanto, para proteger-me de atribuir motivos sem amor a Deus ou a pessoas, considero especialmente aqueles lugares na Bíblia onde as coisas difíceis são amáveis.

Por exemplo, Paulo faz uma declaração surpreendente sobre o Senhor nos julgar, para que não sejamos condenados. É incrível porque isto inclui nos aniquilar por completo. Eu poderia usar uma palavra mais dura (matar-nos) ou uma palavra mais suave (tirar nossas vidas). Veja o que ele diz sobre cristãos nascidos de novo que estavam desonrando a Ceia do Senhor:

Qualquer um que come e bebe sem discernir o corpo, come e bebe julgamento sobre si mesmo. 30 É por isso que muitos de vocês estão fracos e doentes, e alguns morreram. 31 Mas se nós julgássemos a nós mesmos verdadeiramente, nós não seríamos julgados. 32 Mas quando somos julgados pelo Senhor , somos disciplinados para que não sejamos condenados com o mundo. (1 Coríntios 11:29-32)

Assim, alguns morreram por causa de abusos na Ceia do Senhor. Isso é chamado "disciplina". "Somos disciplinados para que não sejamos condenados". Isto é chamado ser "julgado pelo Senhor." "Quando somos julgados pelo Senhor. . . "

E por que isso é algo amável para o Senhor fazer? Porque o objetivo do Senhor em aniquilar seu próprio povo é para que eles "não sejam condenados com o mundo."

Pense sobre as implicações de tudo isto. Uma das implicações parece ser a de que Deus prevê a trajetória natural da vida de uma pessoa indo em direção a uma vida de padrão de pecado que é incompatível com a regeneração. Ele os retém antes que cheguem lá e, assim, garante a sua salvação eterna.

Duas coisas parecem estranhas (como tantas vezes nos caminhos de Deus!):

1) Uma vez que Deus inclina o coração (Provérbios 21:01; 2 Tessalonicenses 3:5), por que não proteger seu povo de um futuro de pecado colocando o temor de Deus em seus corações, de modo que eles não se desviarão dele (Jeremias 32:40)? Por que matá-los para protegê-los?

Resposta: Ele não nos diz. Uma possibilidade é que Deus quer nos mostrar quão séria é a nossa desobediência. Uma maneira de mostrar a nossa necessidade de um Salvador é que Deus deve operar em nós o que é agradável à Sua vista (Hebreus 13:21). Outra maneira, talvez mais chocante, é a disciplina definitiva de morte. Deus tem muito mais na sua caixa de surpresas do que nós imaginamos (Romanos 11:33).

2) Se aqueles nascidos de novo e eternamente seguros (1 João 2:19, Filipenses 1:6) são mortos para preservá-los de serem condenados com o mundo, então isso significa que os eleitos podem realmente perder sua salvação?

Resposta: Não. Mas se faz confirmar que existem padrões de pecado que são, finalmente, incompatíveis com a salvação. E Deus nos tirará a vida antes de deixar-nos sucumbir a esses padrões.

Portanto, vamos mergulhar nossas mentes em tais passagens da Escritura, de modo que nos tornemos o tipo de pessoas que se sentem amadas quando nossas vidas (ou a vida de nossos entes queridos) são tomadas por um Todo-sábio, Todo-amoroso Salvador.