Verdade e Amor

Pense comigo por um momento sobre educação e relacionamentos. Alguns de vocês se preocupam profundamente para que a EDUCAÇÃO PARA EXULTAÇÃO não ignore ou marginalize relacionamentos de amor. Eles são essenciais numa educação real, duradoura e transformadora de vidas. Amém!

Assim, eu me volto para a Bíblia. Eu encontro no lugar das palavras “educação” e “relacionamento,” as palavras “verdade” e “amor.” Assim, o que a Bíblia diz sobre como a verdade e o amor se relacionam um com o outro? Há pelo menos quatro maneiras de falar sobre este relacionamento

1. A verdade tem com objetivo o amor.

“O objetivo desta instrução é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência e de uma fé sincera” (1Timóteo 1:5, NVI). Note: a instrução não é o objetivo, mas sim o amor. A instrução é o meio. Ela é subordinada. A verdade serve o amor. A educação serve os relacionamentos—principalmente o relacionamento entre nós e Deus, mas também entre cristão e cristão, e entre nós e os incrédulos. O “objetivo” de toda a nossa educação é o amor.

“Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel. E consideremos uns aos outros para nos incentivarmos ao amor e às boas obras... encorajar-nos uns aos outros” (Hebreus 10:23-25). O objetivo de “considerar uns aos outros” e “encorajar uns aos outros” é para que nos incentivemos ao amor. Misturamos a “esperança que professamos” com o “uns aos outros,” e o efeito é incentivar uns aos outros ao amor. A verdade da doutrina e a verdade do povo vigilante unidos objetivando o amor.

2. O amor tem com objetivo a verdade.

“O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade” (1Coríntios 13:6).  O amor se alegra quando a verdade é proclamada. Portanto, o amor tem como objetivo a verdade. Ele apóia a verdade.

“Pois eu lhes escrevi com grande aflição e angústia de coração, e com muitas lágrimas, não para entristecê-los, mas para que soubessem como é profundo o meu amor por vocês” (2Coríntios 2:4). Aqui está um exemplo de como o amor tem como objetivo a verdade. Paulo está cheio de amor e isso o compele a escrever uma carta que foi severa, e que causou aflição nele e nos coríntios. Mas era necessário que aquilo fosse dito. O amor fala a verdade pessoal e doutrinariamente.

3. O amor muda como falamos a verdade.

“Antes, falando a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Efésios 4:15, versão do autor). Há uma maneira não amável de falar a verdade. Deveríamos repudiar este tipo de discurso. Mas há uma forma de falar a verdade em amor, e esta deveríamos aspirar. Ela não é sempre uma forma delicada de se fala, caso contrário Jesus teria sido acusado de carecer de amor ao tratar com algumas pessoas nos Evangelhos. Mas ela pergunta qual é a coisa mais útil a se dizer quando todas as coisas são consideradas. Algumas vezes o que teria sido uma palavra dura para um grupo é um ato de amor necessário para outro, e não uma injustiça para com o grupo ao qual se dirigiu. Mas em geral, o amor dispõe a verdade em palavras e formas que são pacientes e gentis (2 Timóteo 2:24-25).

4. A verdade muda como demonstramos o amor.

“Assim sabemos que amamos os filhos de Deus: amando a Deus e obedecendo aos seus mandamentos. Porque nisto consiste o amor a Deus: em obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados” (1João 5:2). Não é sempre óbvio quais atos são amorosos. Assim, João nos diz uma verdade que nos ajudará a saber se nossos atos são amorosos ou não. Um teste verdadeiro para o nosso amor é se estamos obedecendo aos mandamentos de Deus para com as pessoas. Em outras palavras, o amor não pode ser separado da verdade da vontade de Deus. A verdade muda como demonstramos o amor.

Oremos para que Deus faça com que o seu amor e verdade abundem em nosso meio, de todas estas formas, para a glória do seu amor cheio de verdade e da sua verdade cheia de amor.

Pastor John

©2014 Desiring God Foundation. Used by Permission.

Permissions: You are permitted and encouraged to reproduce and distribute this material in physical form, in its entirety or in unaltered excerpts, as long as you do not charge a fee. For posting online, please use only unaltered excerpts (not the content in its entirety) and provide a hyperlink to this page. For videos, please embed from the original source. Any exceptions to the above must be approved by Desiring God.

Please include the following statement on any distributed copy: By John Piper. ©2014 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org