Oração: Nós Recebemos a Ajuda, Ele Recebe a Glória

Oração: Nós Recebemos a Ajuda, Ele Recebe a Glória

Uma das características únicas de Deus é que ele mostra a sua glória ajudando em vez de exigir ajuda. ". . . Nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera." (Isaías 64:4). "Nem é servido por mãos humanas, como se de alguma coisa precisasse" (Atos 17:25). "Ele ainda se levantará para mostrar-lhes compaixão" (Isaías 30:18).

Isso muda a forma como oramos.

Quando pedimos ajuda a ele, sabemos que ele vai nos dar por causa de seu nome, não porque merecemos. Sua ajuda a nós destaca suas riquezas. "Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus." (Filipenses 4:19). Jesus morreu para obter toda a ajuda que precisamos. Assim, não apenas os nossos louvores, mas também as nossas petições, tornam-se formas de glorificar a Deus. Elas chamam a atenção para suas riquezas, e não para nossos direitos.

O princípio é este: Nós recebemos a ajuda; ele recebe a glória.

Atenção para Suas Riquezas, Não para Nossos Direitos

Por exemplo, o salmista ora:

Ajuda-nos, ó Deus da nossa salvação,
pela glória do teu nome;
e livra-nos e perdoa os nossos pecados,
por amor do teu nome. (Salmos 79:9)

Nós recebemos ajuda, libertação e expiação; ele recebe um nome exaltado. Por isso, repetidamente aparece no Antigo Testamento:

Por amor do teu nome, SENHOR,
perdoa a minha iniquidade, pois é grande. (Salmos 25:11)

Vivifica-me, SENHOR, por amor do teu nome! (Salmos 143:11)

Ó Senhor, ouve; ó Senhor, perdoa;
Ó Senhor, atende-nos e age;
Não te retardes, por amor de ti mesmo. (Daniel 9:19)

Dando Ajuda, Não Exigindo-a

Da mesma forma, quando Jesus vem, a primeira coisa para a qual ele nos diz para orar é a glória do nome de Deus: "Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome" (Mateus 6:9).

E quando Paulo ora, todos os seus pedidos são para este mesmo fim:

E peço isto: que . . . (sejam) cheios de frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus (Filipenses 1:9-11).

Não cessamos de orar por vós, para que o nosso Deus . . . cumpra com poder todo propósito de bondade e obra de fé, a fim de que o nome de nosso Senhor Jesus seja glorificado em vós (2 Tessalonicenses 1:11-12).

Isso é maravilhoso. Deus exalta sua graça e poder ao conceder ajuda ao invés de exigi-la. Ele projeta a vida cristã para que tenhamos a alegria enquanto ele recebe a glória.

Mas isso exige que nasçamos de novo.

Feliz por Deus ser Deus

Antes do novo nascimento, somos alérgicos a tal humildade. Nós não só queríamos ser felizes, queríamos ser felizes por ser alguém. Nós não gostamos da ideia de que Deus recebe toda a glória, enquanto tudo que nós recebemos é a ajuda dele e alegria nele.

Mas quando nascemos de novo, estamos felizes por Deus ser Deus. Estamos contentes por Deus receber toda a glória, enquanto permanecemos alegremente suplicando por misericórdia. Então, ore sem cessar e coloque a glória de Deus para ser vista.

Ao seu Rei você vai chegando,
Grandes petições vai carregando;
Pois sua graça e poder são tais
Que ninguém pode pedir demais. (John Newton)

John Piper (@JohnPiper) is founder and teacher of desiringGod.org and chancellor of Bethlehem College & Seminary. For 33 years, he served as pastor of Bethlehem Baptist Church, Minneapolis, Minnesota. He is author of more than 50 books.